quinta-feira, 31 de março de 2011

Nada de legal

A minha vida está totalmente parada.

Estou meio desanimado. Toda semana eu faço alguma entrevista. Até teve uma vaga que poderia ter sido minha, mas eu não pude aceitar por causa do horário de trabalho, que ia prejudicar minha faculdade. A mulher da empresa adorou a minha descrição que eu fiz em um site na internet, e não parava de elogiar meu texto Smiley de boca aberta Enfim, um ponto positivo por gostar de escrever. Até mesmo essas bobagens que eu escrevo aqui e que ninguém perguntou, valem alguma coisa. Mas infelizmente, essas qualidades só serão notadas depois que eu estiver dentro da empresa, e pra isso, eu vou ter que pegar o que a maioria oferece como 1º emprego na minha área.

Esses dias pensei em escrever um livro com a história da minha vida. Não será uma história comovente, graças a Deus, mas acho que eu mesmo iria gostar da história, se fosse de outra pessoa. E claro que eu usaria nomes fictícios pra todos.

Ainda não tenho muitos amigos. Tem algumas pessoas que eu converso um pouco na faculdade, mas é só lá. Isso está pesando pra mim. Antes eu tinha uma vida social perfeita, e agora estou isolado, sem ter alguém pra ligar ou marcar algo pra sair e jogar conversa fora. O estranho, é que esses ultimos dias, tem muita gente me adicionando nas redes sociais, que estudou comigo mas eu mal falava e nem gostava da pessoa. Até parece que fizeram uma reunião e marcaram de adicionar o PH todos juntos. Eu não add ninguém! Eu hein! Não sou hipócrita. Tem até os bestão que me marcava pra ficar enchendo meu saco nas aulas. E tem aquelas que adiciona e eu nunca vi na vida! Depois, por curiosidade eu pergunto da onde me conhece, e dizem algo do tipo: “ahh, eu te vi em tal lugar, você estava sentado/ ouvindo musica/ conversando com alguém/ passando do meu lado na catraca/ indo para a sua van, etc…” E eu me pergunto: “Como me achou!? e Porque me procurou?! “ Depois eu ainda penso que sou eu que não tenho o que fazer.

Bom, é isso.

Obrigado 

sábado, 26 de março de 2011

Lição

Um homem, conhecido por sua habilidade em galgar árvores, ajudava alguém a subir numa árvore muito alta. Ele mandou o sujeito cortar os ramos da copa e, nesse momento aparentemente tão perigoso, não disse nada. Só quando o sujeito começou a descer e chegou à altura dos beirais é que o especialista gritou: ”Cuidado! Veja onde pisa ao descer!”.
Eu lhe perguntei, ”Por que disse aquilo? Naquela altura ele poderia pular se quisesse”.
“É essa a questão”, disse o especialista. ”Quando ele estava lá em cima, numa altura estonteante, e os ramos ameaçavam quebrar, o seu medo era tão grande que eu não disse nada. Os erros são cometidos sempre que as pessoas chegam aos lugares fáceis.”
Yoshida Kenkō, em ”Ensaio sobre o ócio”

terça-feira, 15 de março de 2011

Voltei!

Fiquei um tempão sem postar nada, sem muitos motivos mesmo.
Aconteceram poucas coisas comigo nesse meio tempo.

Uma delas é que eu fui deixado pelo transporte na universidade, rsrs. Pois é… se não é ônibus aprontando comigo, é o transporte! Mas tudo culpa do motorista que esqueceu o celular dele! Porque ele chega lá todo dia às 22:30, e ele pede para avisarmos caso a gente atrase um pouco. E nesse dia, eu ainda estava na classe terminando um trabalho quando deu o horário, aí e saí pra ligar pra ele avisando que eu ia demorar 5 minutos e tal… quem disse que ele atendeu? Não atendia nada. Então eu sai correndo, deixei um monte de questão feita já pro pessoal só copiar e fui lá correndo! Quando eu chego no lugar, eu vejo a van indo embora D: Então eu atravessei a universidade correndo (uns 600 metros) pra tentar pegar a van passando do outro lado, mas nada. E nessas eu não parava de ligar pra ele, foram 26 ligações. Quando eu achei que era o único na universidade, eu vi o pessoal que fez o trabalho comigo saindo, e graças a Deus eles puderam me dar carona pra casa.

De fatos assim, só tinha esse pra contar… mó bosta.

Ontem um amigo do transporte se prontificou a me ajudar a procurar emprego, aí saímos hoje cedo entregando curriculum em um monte de agência de empregos. Fomos em 8 agências! Andei MUITO.

Não tenho muito o que escrever :/
A única vantagem de eu ficar muito tempo no pc esses dias, é que eu estou aprendendo muitas coisas ao estudar outros assuntos.
E livro… saudade de ler um bom livro. O último que eu li me desanimou.

É isso.

Obrigado

quarta-feira, 9 de março de 2011

Diga, antes que seja tarde

1º ano do colegial: Enquanto sentado na aula de inglês, eu admirava a garota ao meu lado. Ela era a minha tão chamada “melhor amiga”. Eu admirava seu lindo cabelo longo e sedoso, e desejava que ela fosse minha. Mas ela não me via com estes olhos, e eu sabia disso. Depois da aula, ela veio em minha direção e me pediu pelas minhas anotações, pois tinha perdido a aula passada, e eu as entreguei a ela. Ela disse “obrigada” e me deu um beijo na bochecha. Eu queria dizer a ela… Eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo, mas sou muito tímido.

2º ano do colegial: O telefone tocou. Do outro lado da linha, era ela. Ela estava em prantos, murmurando continuamente sobre seu coração que fora partido por seu amor. Ela me disse que fosse vê-la porque ela não queria ficar só, então eu fui. Assim que me sentei ao seu lado no sofá, eu me fixei em seu suave olhar, desejando que ela fosse minha. Após duas horas, um filme da Drew Barrymore, e três sacos de salgadinhos, ela decidiu ir dormir. Ela olhou pra mim e disse “obrigada” e me deu um beijo na bochecha. Eu quero dizer a ela…

3º ano do colegial: Na véspera do baile de formatura ela foi até o meu armário. “O meu par está doente”, ela disse; “e ele não vai melhorar”. Eu não tinha companhia. Fizemos um pacto que se nenhum de nós tivesse companhia para o baile, iríamos juntos como “melhores amigos”. Então fomos. Noite do baile: Após tudo ter terminado, eu estava em pé, parado, na porta da casa dela! Eu a fitei enquanto ela sorria pra mim e me fitava com seus olhos de cristal. Eu quero que ela seja minha, mas não pensa em mim dessa forma, eu sei disso. Então ela disse: “Foi o melhor momento da minha vida, obrigada!” e deu-me um beijo na bochecha. Eu quero dizer a ela, não quero que sejamos apenas amigos. ..

Dia da formatura: Um dia passou, depois uma semana, depois um mês. Antes que eu pudesse piscar, era o dia da formatura. Eu olhei enquanto seu corpo perfeito flutuava como um anjo até a plataforma para pegar seu diploma. Eu queria que ela fosse minha, mas ela não me via dessa forma, e eu sabia disso. Antes que todos se dirigissem aos seus lares, ela veio até mim em seu traje de formanda, e chorou enquanto eu a abraçava. Então ela levantou sua cabeça de meu ombro e disse: “Você é meu melhor amigo, obrigada” e deu-me um beijo na bochecha. Eu quero dizer a ela…

Alguns anos depois: Agora eu estou sentado no banco da igreja. Aquela garota está se casando agora. Eu a vi dizer “sim” e seguir em frente, rumo a sua nova vida, casada com outro homem. Eu queria que ela fosse minha, mas ela não me via dessa forma, e eu sabia disso. Mas antes que ela partisse, ela veio até mim e disse: “Você veio!”. Ela disse “Obrigada” e beijou-me a bochecha. Eu quero dizer a ela, eu quero que ela saiba que eu não quero que sejamos apenas amigos, eu a amo, mas sou muito tímido, e não sei por quê.

Funeral: Anos se passaram, e eu olho para o caixão de uma garota que costumava ser minha “melhor amiga”. Na cerimônia, leram a entrada do diário dela, escrito na época do colegial. Isto foi o que leram: - Eu o admiro desejando que ele fosse meu, mas ele não me vê dessa forma, e eu sei disso. Eu quero dizer a ele, eu quero que ele saiba que não quero que sejamos apenas amigos. Eu o amo, mas sou muito tímida, e não sei o porquê. Eu queria que ele me dissesse que me ama!

( beautifulsimply )

terça-feira, 8 de março de 2011

Eu estou aqui!

No início, eu olhava as mulheres como seres quase superiores. Geralmente a maioria delas eram bonitas e inteligentes. Mas infelizmente, quando falavam alguma coisa comigo, eu ficava sem reação me passando por bobo. Depois de perder a primeira e última chance de ter uma amizade comum com elas, era praticamente impossível mudar a imagem que eu passei. E pra variar, tinha os galãs cheios de confiança, que às rodeavam feito urubus, e atraíam elas para suas “coleções de amigas”. Eu não via sentido no que acontecia… meninas incríveis se atraindo por uns babacas bonitões. Minhas tentativas de me aproximar delas, eram previamente descartadas pelo olhar que elas faziam ao ver eu me aproximando. Um ato lamentável da parte delas, quando com certeza, minhas intenções eram as melhores possíveis.

Desisti. Passei a achar que todas a meninas bonitas e inteligentes que me interessavam, eram muita areia pro meu caminhãozinho. Parei de tentar definitivamente.

Um tempo depois, elas perceberam que eu sabia fazer uma coisa, que os queridinhos delas não conseguiam fazer… passar na média, rsrs. Vinham me procurar para ajudá-las com assuntos da escola, mas ainda assim me viam como o bobão de sempre.

O tempo passou mais um pouco, e as meninas estudiosas e bonitas passaram a ser uma raridade. Geralmente, a maioria delas ficou vagabunda (em termos  de não querer nada com a vida) e burra. Aqueles caras dos velhos tempos, ainda permanecem na mesma merda, só que levaram muitas meninas para o mesmo caminho.

E hoje, essa mulherada está por aí, se lamentando pelo azar no amor e pelo salário de secretária/atendente que recebem.

E eu sei que existem umas que se salvaram (Graças a Deus). São lindas, inteligentes, cheias de personalidade e estão em pouca quantidade.

Então, para vocês mulheres que se salvaram, não pensem que aquele garoto cdf/nerd/bobo mudou como a maioria dos outros garotos. Eles ainda estão por aí, procurando por vocês! Eu estou aqui!

quarta-feira, 2 de março de 2011

Estamos com fome de amor...

Estamos com fome de amor…
(JORNAL O DIA! Arnaldo Jabor)

O que temos visto por ai ???
Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes.
Com suas danças e poses em closes ginecológicos, cada vez mais siliconadas, corpos esculpidos por cirurgias plasticas, como se fossem ao supermercado e pedissem o corte como se quer… mas???
Chegam sozinhas e saem sozinhas…
Empresários, advogados, engenheiros, analistas, e outros mais que estudaram, estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos
Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos “personal dancer”, incrível.
E não é só sexo não!
Se fosse, era resolvido fácil, alguém dúvida?
Sexo se encontra nos classificados, nas esquinas, em qualquer lugar, mas apenas sexo!
Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho, sem necessariamente, ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico na cama …. sexo de academia .…
Fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão “apenas” dormir abraçadinhos, 
sem se preocuparem com as posições cabalisticas…
Sabe essas coisas simples, que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.
Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção…
Tornamo-nos máquinas, e agora estamos desesperados por não saber como voltar a “sentir”, só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós…
Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada nos sites de relacionamentos “ORKUT”, “PAR-PERFEITO” e tantos outros, veja o número de comunidades como: “Quero um amor pra vida toda!”, “Eu sou pra casar!” até a desesperançada “Nasci pra viver sozinho!”
Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários, em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis, se olharmos as fotos de antigamente, pode ter certeza de que não são as mesmas pessoas, mulheres lindas se plastificando, se mutilando em nome da tal “beleza”…
Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento, e percebemos a cada dia mulheres e homens  com cara de bonecas, sem rugas, sorriso preso e cada vez  mais sozinhos…
Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário…
Pra chegar a escrever essas bobagens?? (mais que verdadeiras) é preciso ter a coragem de encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa…
Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia isso é julgado como feio, démodê, brega, familias preconceituosas…
Alô gente!!! Felicidade, amor, todas essas emoções fazem-nos parecer ridículos, abobalhados…
Mas e daí?  Seja ridículo, mas seja feliz e não seja frustrado…
“Pague mico”, saia gritando e falando o que sente, demonstre amor…
Você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais…

Perceba aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, ou talvez a pessoa que nada tem haver com o que imaginou mas que pode ser a mulher da sua vida…
E, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois…
Quem disse que ser adulto é ser ranzinza ? 
Um ditado tibetano diz: “Se um problema é grande demais, não pense nele…  E, se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele?”
Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo, assistir desenho animado, rir de bobagens e ou ser um profissional de sucesso, que adora rir de si mesmo por ser estabanado…
O que realmente, não dá é para continuarmos achando que viver é out… ou in…
Que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo, que temos que querer a nossa mulher 24 horas, maquiada, e que ela tenha que ter o corpo das frutas tão em moda, na TV, e também na playboy e nos banheiros, eu duvido que nós homens queiramos uma mulher assim para viver ao nosso lado, para ser a mãe dos nossos filhos, gostamos sim de olhar, e imaginar a gostosa, mas é só isso, as mulheres inteligentes entendem e compreendem isso.
Queira do seu lado a mulher inteligente: “Vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois, ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida”…
Porque ter medo de dizer isso, porque ter medo de dizer: “amo você”, “fica comigo”, então não se importe com a opinião dos outros, seja feliz!
Antes ser idiota para as pessoas que infeliz para si mesmo!

Para ler, divulgar e … praticar !