domingo, 17 de abril de 2011


Ja me enganei sobre muitas pessoas e também me enganei sobre eu mesmo. Já disse "nunca mais" e fiz tudo de novo. Pensei que fosse pra sempre, e mal percebi quando acabou. Sim, errei muito e erro sempre. Machuquei quem não deveria. Já escrevi e não mandei, já disse te amo quando deveria dizer ‘te quero bem’ e quando quis dizer "te amo", no lugar disse apenas ‘eu gosto de você’. Sei exatamente o que quero fazer daqui a 10 anos, mas não sei que roupa vou colocar amanhã. Não lembro o que comi ontem, mas lembro exatamente de cada palavra de carinho que já ouvi. Sinto saudade do que não tive, sinto falta até mesmo de quem esta perto de mim. Posso amar sem ser notado, posso morrer de ciúmes e mesmo assim conseguir sorrir, posso esquecer quem me deixou triste; mas não esqueço jamais de quem me fez feliz.

(desconhecido )

sábado, 16 de abril de 2011

O que teria acontecido?

Não sei se já comentei sobre meus flashs de memórias que eu tenho, em que simplesmente me lembro de vários momentos de minha vida, desde criança até os dias atuais. É como se fosse um computador carregando as imagens a serem exibidas, que você vê todas as miniaturas passando bem rápido, sabe?

Bom, acabou de acontecer isso comigo, e me peguei refletindo no que teria acontecido se eu tivesse tomado a outra decisão, nos momentos em que eu evitei relacionamentos. Foram momentos em que algo acontecia, e o tempo meio que parava pra mim, e eu pensava no que fazer naquele segundo.

O que teria acontecido…

1996 - Se eu tivesse correspondido o beijinho Jéssica, quando a turma toda gritava “BEIJA! BEIJA!”. O que aconteceu: Ela estava de olhos fechados e esperando eu beijar (ela era bem atiradinha,rsrs), mas eu sai correndo.

1997 – Se no momento da foto com a Monique, eu tivesse roubado um beijo dela. O que aconteceu: Ela era a minha paquerinha, que eu e um amigo meu brigávamos por ela. E no são joão, minha mãe tirou uma foto minha com ela. Apenas tirei a foto.

1999 – Se eu tivesse dado a florzinha que eu peguei pra Tamires (que eu achava que era bruxa, rsrs). O que aconteceu: Final de tarde, eu a vi sentada na grama, peguei uma florzinha e ia me sentar do lado dela e entregar, mas ela me ouviu chegar, e quando se virou e me viu, eu coloquei a florzinha no bolso.

2001 – Se eu tivesse falado com a Gabriela, quando ela me reconheceu no shopping e se agachou e ficou apenas me olhando. O que aconteceu: Eu conheci ela em 2000, na mesma classe de 3ª série, e eu gostava dela… foi a primeira menina que eu pedi o número do telefone, mas nunca liguei. E um belo dia, eu estava brincando com uns amigos no chão na praça de alimentação, e ela fez isso. Eu a reconheci, mas não falei nada, apenas fiquei encarando também.

2002 – Se eu tivesse deixado a cartinha de declaração, dentro do caderno da Jéssica. O que aconteceu: Eu fiz uma cartinha pra ela sem anonimato. E na hora do intervalo, eu coloquei dentro do caderno dela, mas ficou lá por menos de 5 minutos porque eu tirei.

2003 – Se eu tivesse escrito a cartinha pra Maísa, sem anonimato. O que aconteceu: Eu não escrevi quem eu era.

2004 e 2005 – Se eu não fosse tão tímido e não tivesse gaguejado e falado nada com nada, nas vezes que “ela” puxava assunto comigo. O que aconteceu: Ela era 1 ano mais velha, e a menina mais bonita que eu já tinha visto.

2006 – Se eu tivesse deixado a Poliana me puxar pra dentro do banheiro. O que aconteceu: Jogos internos à tarde no colégio, ela era linda e popular, mas naquela tarde ela não estava normal (acho que alguma droga :/ ). 

2007 – Se eu não tivesse ido naquele jogo de futebol da 3ª série a pedido da Nívea. O que aconteceu: Eu fui, e resultou em uma das maiores merdas de minha vida, chamada “rolo”.

2008 – Se eu não tivesse escutado o conselho de uma amiga da Anna. O que aconteceu: Eu estava com medo de confundir a amizade e acabar estragando. A amiga dela me disse que ela sentia o mesmo. Poderia ter dado certo, mas eu decidi não deixar acontecer. Mas se eu não soubesse?

2009 – Se eu tivesse perguntado se ela queria o sorvete que ela tinha colocado na minha boca. O que aconteceu: Empolgação, uma sessão de indiretas, marcar de ir na sorveteria onze horas da noite, olho no olho a 15 centímetros de distância, me deu sorvete na boca… e eu não  perguntei se ela queria ele devolta, rsrs. Porque pensei que aquelas sensações iam valer por penas aquele dia.

2010 – Se eu não fosse tão inseguro, e na hora do frio esperando a chuva parar eu tivesse dado mais do que um abraço. Se na hora do tchau tivesse feito melhor. Se no dia oficial tivesse levado aquelas flores. Se eu não tivesse a mania de querer ser imprevisível. E se eu não tivesse deixado meu coração falar mais alto.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

De volta! Com muito esforço ;)

Pois é, demorei mas voltei. Tenho bons motivos para ter deixado o blog por uns dias.

Começou semana passada, uma correria com entrevistas para emprego BEM cedo. Passava o dia inteiro fora de casa, chegava de noite e já me preparava para ir pra facul. E na quarta-feira passada, fiz uma entrevista para uma empresa grande de logítica ( a área que eu estudo ), e passei!!! :D
E como as coisas nunca são fáceis demais, marcaram para eu comparecer no dia seguinte à agência de empregros pela qual a empresa estava contratando. Só que a agência fica em um bairro chamado "Lapa" em SÃO PAULO! Putz, eu fazia a menor idéia de como ir pra lá. No final das contas eu consegui ir sim, e claro que tem muitos detalhes de minha primeira aventura sozinho, mas não estou muito afim de escrever tudo o que eu gostaria (sono). Então, resumindo, eu fiz a entrevista na terça, fui pra SP na quarta, e comecei a trabalhar já na quinta-feira. Os primeiros dias não foram fáceis... afinal, além de ser meu primeiro trabalho, é bem pesado pra quem nunca fez nada. E a cada dia que passou eu ganhei uma lembrancinha. No primeiro dia, eu tive que usar uma bota menor que o meu pé, e ela tem bico de aço, o que me presenteou deixando minha unha quase preta, e me fazia mancar de dor. No segundo dia, eu raspei as costas mão em algum lugar, que tirou praticamente um bife dela, abriu um buraquinho que deixou na carne viva. No terceiro dia, ganhei uma bolha de queimadura na mão, por causa de um rolo de plástico que passou muito rápido pela palma da mão e fez isso. No quarto dia, deu um mal jeito na coluna, e me arrebentei. No quinto dia, ganhei dores no joelho. No sexto dia, ganhei dor nos tornozelos. No sétimo dia, ganhei um dia inteiro de trabalho frenético, sem parar. E hoje, trabalhei dobrado, porque um dos que me ajuda teve que sair mais cedo. Estou totalmente arrebentado nesse exato instante.

Nessas de trabalhar, eu mal tive tempo pra me coçar. Só depois que chegou da faculdade mesmo, que eu tenho uns 30 minutos pra usar como quiser, e depois já ir dormir pra ter no máximo 6 horas de sono por dia. Mas dou graças a Deus, porque as minhas condições de trabalho são muito boas.

A faculdade está indo bem. Já estou me enturmando, tenho com quem conversar quando saio mais cedo, tem o pessoal do transporte escolar, fiz bem algumas provas, enfim... estou indo bem :)

E aqui vai a nova lista atualizada dos passos para eu me sentir homem completo:

2006 - Carteira de trabalho
            RG
            CPF
            Curso superior
           Namorada
           Habilitação
           Emprego
2009- Carteira de trabalho
            RG
            CPF
            Curso superior
           Namorada
           Habilitação
           Emprego
2010 - Carteira de trabalho
            RG
            CPF
            Curso superior
           Namorada
           Habilitação
           Emprego
2011 - Carteira de trabalho
            RG
            CPF
            Curso superior
           Namorada
           Habilitação
           Emprego

Vamos ver até quando isso vai durar, rsrs

É isso... espero poder voltar a atualizar com mais frequência.

Obrigado

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Comparações

Eu tinha coisas para escrever aqui, só não estava lembrando ao certo o que era. Mas era algo relacionado à pessoas. Como eu não lembro, eu decidi dar uma olhada em posts velhos, e fui no mês de abril do ano passado para ver pelo o que eu estava passando um ano atrás (a vantagem de ter esse blog). E acabei descobrindo que os fatos de minha vida se assemelham à um ciclo/ uma fase.
O que eu espero que não seja, mas isso só poderei confirmar daqui um ano.
Eu não escrevia muito no blog até o mês de maio de 2010, que não passava de 10 posts por mês, e hoje estou em uma média de 15 por mês. Agradeço isso, principalmente a uma amiga, que praticamente me transformou depois que eu a conheci. Vai fazer quase um ano já :)
Enfim, eu reparei que minha situação atual é igual a do ano passado! Vou colocar aqui umas comparações:
Abril/2010 – “…estou doido para achar um emprego para ter contato com pessoas. A facul não basta porque sou um cara que seleciona muito as amizades, e acreditem, de manhã numa faculdade não tem muita gente interessante. Interessante eu digo, porque estou em uma faculdade afinal, e nela 98% do meu papo é assunto acadêmico, 1% sobre mulher e outro 1% sobre o dia a dia.
Estou e não estou procurando uma namorada ao mesmo tempo. Estou porque sinto falta da presença feminina no meu dia-a-dia, aquela companhia mais íntima e tal. E não estou porque tenho medo do que posso arranjar com essa "pressa" de achar uma parceira, e sou muito exigente, pelo menos eu ERA, porque a coisa está ficando tão feia que estou começando a tirar alguns requisitos e me surge cada coisa... por isso não quero. E outra é porque sei que se eu começar um namoro agora ele não será o último, porque estou procurando, e é diferente de quando tudo acontece em função do destino.”
Abril/2011 – Estou doido pra achar um emprego! A diferença é que já estou nos processos seletivos :) Antes era por amizade, e hoje é porque quero começar meus primeiros investimentos o mais cedo possível. Estou estudando de noite, mas a maneira como eu vejo o relacionamento dentro da faculdade ainda é o mesmo.
Estou e não estou procurando uma namorada ao mesmo tempo. Estou porque sinto MUITO MAIS falta da presença feminina no meu dia-a-dia, aquela companhia mais íntima e tal. E não estou porque tenho medo do que posso arranjar com essa "pressa" de achar uma parceira, e não ser algo muito sincero e se tornar apenas uma questão de necessidade.
Uma filosofia em Abril/2010 - “Com o tempo você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar , não precisar dela. Percebe também que aquele alguém que você ama(ou acha que ama)e que não quer nada com você, definitivamente não é o alguém da sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você. O segredo é não correr atrás das borboletas… é cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!” Mário Quintana
Acho que isso pode significar que voltei ao normal
Atualmente em Abril/2011 – Eu tinha essa filosofia em mente, eu era feliz com outra pessoa mas eu precisava dela :/ Eu aprendi a gostar de mim. E ainda sigo essa: “O segredo é não correr atrás das borboletas… é cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!” Mas ao contrário de um ano atrás, não acho que estou no meu estado normal.
Trecho de música semelhante ao de minha vida em Abril/2010 – “A minha vida, eu preciso mudar todo dia
Pra escapar da rotina dos meus desejos por seus beijos (tira essa parte do beijos) Dos meus sonhos eu procuro acordar e perseguir meus sonhos. Mas a realidade que vem depois não é bem aquela que planejei.
Minha vida agora, se identifica com esse refrão.”
Trecho de música modificado falando de minha vida em Abril/2011 – “A minha vida, eu preciso mudar todo dia
Pra escapar da rotina dos meus desejos por seus beijos nos meus sonhos. Eu procuro acordar e perseguir meus sonhos. Mas a realidade que veio depois não foi bem aquela que planejei.”

Obrigado