domingo, 26 de junho de 2011

Lendo o passado

Nossa, me peguei fuçando meus posts antigos, e eu vejo que já mudei bastante em quase 1 ano.

Segue o trecho de um post do ano passado, o qual vou comparar com minha visão atual.

Esses dias me questionei sobre minha vida, se ela estava perfeita ou só agora que está perfeita.

Digo porque estou numa transição grande ainda.

Quando penso que tudo estava perfeito, era a minha vida que eu estava estudando na faculdade, já tinha passado 3 semestres de curso, eu era reconhecido por grandes profissionais, eu tinha muitos amigos por perto, estava pra arranjar um emprego, estava em um relacionamento que eu sempre quis pra mim, eu estava amadurecendo numa velocidade estúpida por ter que me virar em casa o dia todo sozinho, convivendo com meu pai e melhorando o nosso relacionamento ainda mais, morava numa região excelente... enfim! Estava tudo perfeito, porém acomodado com a situação de meus pais separados, e já tinha colocado em minha cabeça que eu teria que construir carreira no nordeste mesmo, e que meu pai se formando iria melhorar nossas condições de vida e poder fazer visitas mais frequentes aos familiares.

E agora como estou?

Depois de 10 anos voltei pra minha cidade natal. Nunca tive contanto próximo por tanto tempo com meus familiares como estou tendo agora. Meus pais estão juntos novamente, vamos morar em uma das regiões mais desenvolvidas do Brasil, os meus pais estão felizes, minha irmã está feliz, meus parentes estão felizes, TODO MUNDO feliz por nós. E eu não sei o que achar disso tudo. Estou com 19 anos nas costas, sem emprego, sem amigos próximos (estou começando a fazer amizade no cursinho), voltando a estudar coisas do ensino médio, estou me sentindo praticamente como aqueles vagabundos repetentes. Deixei de fazer inscrição para o ENEM porque tinha em mente que eu já estava na faculdade mesmo, então não precisava fazer. E agora é a única avaliação para ser aprovado em um monte de unversidades aqui perto. Meu pai que eu me apeguei tanto e foi meu melhor amigo, minha base de apoio psicológica durante 6 meses, agora só o vejo finais de semana. Vejo minha mãe até o horário do almoço e depois só às 9 da noite. Meus primos estão todos próximos, mas tem as ocupações deles. E eu, agora só tenho à alguns livros, musicas, filmes e seriados. O que é perfeito?”

E agora “pequeno eu” ?

Ainda não sei o que é perfeito, e acho que nunca vou poder definir.

Eu estou em uma faculdade, já passou 1 semestre de curso e estou ganhando reconhecimento profissional. Ainda não tenho muitos amigos (só pra constar, são 3). Já tenho um emprego na área que eu estudo. Não estou em nenhum relacionamento (falo sobre isso outra hora). Esse ano eu fiz a inscrição para o ENEM e vou tentar conseguir 100% de bolsa! Meus dias começam 6h e acabam às 23h, só consigo conversar com os outros depois desse horário ou em finais de semana.

Agora falando de relacionamento… Putz! Todo mundo me questiona sobre ainda não estar namorando! Tios, primos e amigos… Namorar pra mim, é uma coisa meio complicada. Já mudei diversas vezes os meus modos de pensar a respeito disso. E uma coisa que eu mudei, foi a respeito do tempo que eu levo para conhecer a menina e poder tentar alguma coisa com ela. Eu nunca acreditei naquela coisa de namorar alguém que frequenta o mesmo lugar que você, que vocês se vêem todo dia, por tantos anos, cria uma amizade, e fica achando que ali estava o amor de sua vida e coisa e tal. Não… Nunca vi isso dar certo. Casal de escola então, nem se fala! Se passou tanto tempo se vendo e se gostavam tanto, porque fica enrolando né? rsrs. Pelo menos comigo, eu descobri que é uma coisa incontrolável, kkkkkkkkk. Mas nem casal de igreja dá certo. É fato. Só acredito mesmo quando eu sentir a mesma coisa que eu só senti uma única vez por uma garota, e vai ser assim que eu vê-la. Depois é só desenvolver :D

 

Obrigado

Nenhum comentário:

Postar um comentário