domingo, 19 de junho de 2011

Quando digo “só”, não é realmente só...

Eu poderia escrever milhares de coisas a mais, mas além de não ter a necessidade, são palavras que podem revirar meus sentimentos e gerar toda aquela confusão comigo mesmo. O interessante, é que se eu sei que palavras são essas, e como que não me causa nada disso? A sensação é que elas estão atrás de uma porta, batendo desesperadas para sair. Eu conheço elas, sei os efeitos que cada uma pode causar, mas existe diferença entre só pensar nelas, e escrevê-las. E as únicas coisas que podem detê-las, são o tempo e o silêncio. Essa é a minha caixinha preta, onde tudo acontece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário