domingo, 24 de julho de 2011

Procura-se um interpretador de sonhos

Minha irmã estava dirigindo, e a gente procurava o Hopi Hari. O estranho, é que estávamos na cidade (pra quem não sabe, o acesso a ele fica em uma rodovia, e em uma região isolada da cidade). Então, vimos a entrada tarde demais… era uma avenida e não sabíamos como retornar àquele ponto. Paramos em uma lanchonete para consultar um mapa, e percebi que havia uma saída nos fundos. Então, eu pensei em ir até lá para perguntar na rua. Quando eu saí, eu vi uma rua deserta, de paralelepípedo, com uma espécie de “fim do mundo”, que era uma ausência de continuação de qualquer coisa. Não tinha horizonte, nem parede, nem nada… parecia uma rua, com um paredão preto infinito. E no meio da rua, dois seguranças parados. Sem entender aquilo, eu tentei ir até o tal “fim” da rua, mas os seguranças não permitiram, e me disseram que era área restrita. Então, sem muito sucesso, eu cheguei pra minha irmã e disse: – “Não tem jeito… daqui a pouco eu vou acordar mesmo.”

E eu acordei.

novo-2

 

Obrigado

2 comentários: