sábado, 17 de setembro de 2011

EU FALEI COM ELA! LÁLÁLÁLÁ

Um post por semana, será?

Percebi que estou nesse ritmo… mas por falta de tempo mesmo. Agora tudo eu tenho que deixar pra fazer só no final de semana :/ Obrigações de faculdade, viagens, saídas com amigos, e saídas com a família… eis as minhas 4 alternativas para eu distribuir em 4 finais de semana. Agora imagine, estudar uma única vez no mês? Não dá! É muito ruim ter que abrir mão de algumas coisas, quando se está acostumado a ter tempo ara todas elas. E quando eu começar a namorar!? Só Deus sabe como eu vou me virar.

Estou quebrando a rotina, ou tentando pelo menos. Ahn… eu só mudei de calçada, e meu lugar no fretado da empresa. Acho legal fazer isso. E até esses dias eu estava com o cabelo grande. Fazia tempo que eu não usava esse visual. Esse visual a que me refiro, é o mesmo que eu usava na faculdade de engenharia logo no início. Pra quem não me conheceu na época, eu só usava roupa larga, camisa alternativa ou de banda, boné pra trás com aquele cabelão bagunçado por baixo da aba, e uma barbixa mal feita. Mas fui no cabelereiro, e deu os cinco minutos em mim, e falei para ele que ele podia fazer o que quisesse! rsrs  Foi arriscado, mas ficou legal. Parecido como eu usava antes, porém mais diferente.

Ultimamente, eu tenho notado algumas coisas meio chatas em mim. Às vezes eu me acho mais inteligente que algumas pessoas. Mas quem sou eu pra achar isso!? Eu sou um merda perto de algumas pessoas que eu conheço. Então seria realmente uma característica minha, ou as pessoas realmente são desprovidas de inteligência?  Outra coisa chata, é que eu acho que sou um pouco egocêntrico. Não no sentido de só pensar em mim mesmo, mas no sentido de sempre achar que tem gente me olhando. É uma sensação ruim pra mim, e eu acabo evitando de circular muito.

 

Tem uma menina na faculdade, que a existência dela me intriga bastante. Eu a observo desde o início das aulas, no final de fevereiro mais ou menos, rsrs. Eu estava sentado longe de onde ela estava, e então eu a vi tão longe que mal dava pra identificar o rosto dela, em uma mesa de 3 pessoas, gesticulando bastante, conversando e dando muita risada, e me chamou a atenção. Quando eu vi, uma das pessoas que estava na mesa com ela, é um amigo meu do transporte que eu pego pra voltar. Desde aquele dia, eu fiquei no pé dele para ele me apresentar ela, mas ele não sabia ao certo de quem eu falava. Um mês depois em um belo dia, fomos até uma mesa de amigos dele, e ela estava lá. Eu finalmente pude ver ela de perto, e quando ela saiu da mesa, deu tchau para os amigos dela e me cumprimentou! Eu ganhei a noite aquele dia, XD. Mas desde então, eu nunca mais cumprimentei ela. Nunca troquei mais do que 3 palavras com ela. Mas a existência dela me intriga demais! Desde março, todos os dias eu tento vê-la. Se eu a ver, eu já fico feliz, mas se não, eu pergunto para o meu amigo como ela está. Ele já está de saco cheio de tanto que eu pergunto, rsrs. E esses dias, eis que eu estava no ônibus da empresa indo pra casa, acordei do nada no meio do caminho ainda, entrei na rede pelo celular e soube que ela tinha sofrido um acidente. Na mesma hora meu sono sumiu, e eu li cada detalhe do que havia acontecido. Graças a Deus não aconteceu nada de grave com ela. Mas essa notícia mexeu comigo de uma forma, que eu meio que me toquei mais pra vida. Não perder tempo. Poderia ter sido ela a vítima fatal do acidente, ou qualquer outra pessoa que tenha tanta importância quanto ela, e enquanto eu fiquei esperando a coragem de fazer ou dizer certas coisas, eu poderia ter perdido a oportunidade pra sempre. No final das contas, eu tive um surto de alegria inexplicável! Eu acordei super disposto, bem mais comunicativo, e os dias seguintes tem um outro brilho pra mim. Depois desse acidente, eu não pude vê-la, mas já estou ancioso pensando em como eu vou puxar conversa com ela quando eu a encontrar.

 

Obrigado

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Um pouco de tudo com reflexões sobre minha vida, e falta de inspiração.

Sexta-feira! E eu aqui logo de manhãzinha (“manhãzinha” não soa muito bem. É assim mesmo? ). Mais do que justo! Eu trabalhei na quarta-feira justamente para trocar por hoje, por livre e espontânea pressão. A empresa propôs a troca, e os funcionários teriam que assinar se concordassem com a tal. Minha mão coçou para marcar o “não”, tanto pelas minhas manias de ser imprevisível e ser do contra, como também pelo fato de eu achar que a folga na quarta-feira iria proporcionar um efeito pscicológico de que a semana passaria mais rápido. Seria a sensação de duas semanas de dois dias, enquanto a folga hoje, só vai me dar a sensação de um dia de folga em uma semana de 7 dias. Sou cheio de pensar essas besteiras.

Por falar em minha mania de ser imprevisível, já estou pensando em não ir na minha formatura da faculdade também. Antes eu dizia que nessa formatura eu iria, mas o “grande dia” se aproximou e eu mudei de idéia. Nem me pergunte o motivo, todo mundo acha um absurdo eu não querer ir na minha formatura…

“Nossa! Porque você não vai!? / É uma grande conquista na sua vida! / Um dia inesquecível na vida de qualquer um! / Credo! / Você é revoltado com sua vida!? / mimimi blábláblá”

Pode ser que eu pague a lígua e um dia venha escrever aqui sobre a minha festa de formatura, mas as chances de isso acontecer, são 0,01%.  Na 7ª série eu disse que não ia na da 8ª série, e não fui. No 2º ano eu disse que não ia na do 3º ano, e não fui. E agora, novamente 1 ano antes de me formar, eu digo que não vou e pronto. Apenas uma única vez eu disse que eu iria na minha formatura, que seria a do meu curso de engenharia de produção, que só pra constar, eu estava muito feliz com minha vida, cheio de perspectivas para melhoras e achava que nada poderia me tirar aquela felicidade. Agradecia a Deus por tudo, e no fim das contas Ele decidiu fazer umas mudanças as quais eu acho que já basta de comentários sobre elas por aqui.

Fora que eu também não me contento com coisas previsíveis, e formatura é uma delas. Eu vejo a formatura como se fosse um casamento individual. Sim. Tem a cerimônia entediante a qual todos não vêem a hora para que acabe e comece a festa, e você compromete a sua vida com a carreira referente à sua formação. Não adianta, toda formatura é a mesma coisa. Seja na festa ou no passeio da turma. Todo mundo que bebe enche a cara, formam-se casaisinhos iludidos pelo clima de felicidade mútua, e quando não se formam os casais tem os relacionamentos casuais, que duram só aquela noite por consequência do medo de não se verem mais com tanta frequência. Enfim… a GRANDE lembrança para alguns, será a que “naquele dia eu tava muito louco” , “fiquei com a fulana (o)” , “quase todo mundo bebeu e eu fiquei conversando com o beltrano” , “não lembro de nada” e por aí vai uma série de lembranças cativantes.

E como seria uma comemoração de formatura interessante pra mim? Fácil. Uma evento simples e imprevisível, é combinar de ir para algum lugar com o grupo. Seja para um bar, casa de alguém, parque, etc. Você só comemora com os seus amigos de verdade, e nenhum babaca que você não tenha afinidade poderá estragar a lembrança. Quer comemorar com uma viagem? Claro. A galera junta o dinheiro até o grande dia e deixa pra decidir o destino apenas uns dias antes XD.

Por falar em viagem, eu tenho pensado muito a respeito de realizar algumas aventuras. E ontem, eu e mais dois amigos do trabalho, decidimos uma viagem de ultima hora. Vamos pro interiorzão de Minas Gerais, no meio do mato e vamos ver o que tem pra fazer nas redondezas. Um objetivos já está marcado, que é visitar uma pedra gigantesca.  Mas a aventura que eu quero mesmo, é a do tipo de juntar o dinheiro e sair sem rumo. Pega a estrada e vai entrando onde o instinto achar que eu devo entrar.

 

Estou sentindo falta de ler algum livro. O pior é que eu dizia “Nossa, quando eu estiver trabalhando vou comprar todos esses livros…” E desde que eu comecei a trabalhar, eu não comprei NENHUM livro! D: Só fiquei comprando acessórios, miniaturas de carrinhos e eletrônicos (vícios). A desculpa pra muitas coisas minhas, é que eu não tenho mais tempo, mas é mentira. Eu sempre acho tempo se for pra ler um livro. O que me falta mesmo é uma boa indicação, ou arriscar na escolha. Além da falta de ler mesmo, eu acho que meu nível de escrita e vocabulário cairam um pouco.  Tenho um livro que eu comecei e não terminei, que é “A ultima música”, e é difícil (quase impossível) eu não terminar um livro. Acho que a história desse não me atraiu muito.

Sinto falta de gostar de alguém. A cidade é tão cheia de mulheres bonitas, mas minha vida não me apresentou nenhuma até agora. Só a vida da perseguidora que inventou de me apresentar a ela. E não dá. Não queria dizer isso, mas ela é burra. Sério, me sinto horrível julgando a capacidade intelectual de uma pessoa, mas pra mim ela é burra. Coitada… com certeza tem um cara nesse mundo que acha ela bonita e também não ache ela burra. Estou tentando decepcionar ela sem machucar os seus sentimentos. Infelizmente é preciso fazer isso.

Também preciso dar um trato no visual. Estou tão sem tempo, que vai fazer quase 3 meses que eu não corto o cabelo, e quase 1 mês que não faço a barba. Nesse exato momento mesmo, estou do jeito que acordei parecendo um mendigo. Na ultima vez que me permiti chegar nessa situação, eu fui chamado de “o doidinho” na faculdade. Eu não penteio o cabelo e praticamente morava lá, entendeu?

Droga… Nostalgia vindo. Vou parar por aqui.

Obrigado

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Gif de uma verdade

Resumão

Olha eu aqui! Finalmente, depois daquela infecção, eu voltei. Aconteceram muitas coisas (nem tantas).

Levei 1 semana pra sarar! E os dias nesse meio tempo, foram bem difíceis. Eu estava totalmente desanimado, vendo defeito em tudo o que estava acontecendo comigo, ficando desmotivado, e resumindo… reclamando de tudo. Tenho quase certeza que era tudo devido ao meu mal-estar. Comecei a achar que minha vida estava difícil, por conta dos meus horários entre trabalho e faculdade, e que estava ficando cansativo demais (mas realmente é muito cansativo). Comecei a me comparar com amigos meus e as condições de trabalho deles, e de certa forma invejá-los :/

Cheguei a fazer um novo curriculum e procurar algo melhor. Porém, também pedi a Deus que ele me ajudasse a tirar essas idéias da cabeça. Foi incrível, pois no dia seguinte comecei a enxergar toda a besteira que eu estava fazendo. Um amigo meu, do nada tirou um tempo do trabalho dele pra jogar conversa fora comigo, e nessas, eu contei como eu estava me sentindo, e esse cara me falou uma coisa que eu acho que nunca vou me esquecer. Ele me disse o seguinte:

“Paulo, trabalhar e estudar realmente é muito cansativo, ainda mais nesse horário que saímos, mas nós somos um dos poucos que persistem, e é por isso que poucos conseguem”

E de noite na faculdade, conversei com um outro amigo. Ele não teve muitas palavras na hora, somente me ouviu. No final da noite, ele me mandou a segunda frase que me impactou bastante também:

“Nós somos criaturas emotivas às vezes capazes de raciocinar, e não criaturas racionais capazes de raciocinar”

Lembrei também de uma amiga, que até faz um tempo que não conversamos, mas em certos momentos de minha vida, eu me lembro dela e o quanto eu a admiro pelos seus modos de ver e encarar a vida.

Me dei conta de todo o drama que eu estava fazendo. Quantas pessoas não gostariam de estar no meu lugar? Estar trabalhando e fazendo faculdade. Com saúde de sobra e tendo amigos como os meus. Tem gente que ganha bem menos do que eu, tem que sustentar outras pessoas, moram longe pra caramba pra poder ir trabalhar, são bem mais velhos e trabalham em uma equipe onde o maior cargo é ocupado por um muleque como eu. E outra coisa… todos os meus amigos tem mais de 23 anos. Conclusão; está bom demais pra mim! :D Graças a Deus eu tenho essa vida que eu tenho.

E só fui me sentir 100% MESMO, essa segunda-feira. Ou seja, agora eu já sei o que é ter 20 anos nas costas, rsrs.

Eu tive que trabalhar hoje porque a empresa fez um acordo com os funcionários, que é trocar os feriados que cairem em uma quarta-feira para uma sexta-feira. Então a semana já acaba pra mim amanhã ^^

Só parecia que eu tinha muita coisa pra contar. Até tem o caso “perseguidora da faculdade” mas vou deixar pra comentar em outra postagem.

 

Obrigado, Obrigado mesmo ;)