sábado, 17 de setembro de 2011

Um post por semana, será?

Percebi que estou nesse ritmo… mas por falta de tempo mesmo. Agora tudo eu tenho que deixar pra fazer só no final de semana :/ Obrigações de faculdade, viagens, saídas com amigos, e saídas com a família… eis as minhas 4 alternativas para eu distribuir em 4 finais de semana. Agora imagine, estudar uma única vez no mês? Não dá! É muito ruim ter que abrir mão de algumas coisas, quando se está acostumado a ter tempo ara todas elas. E quando eu começar a namorar!? Só Deus sabe como eu vou me virar.

Estou quebrando a rotina, ou tentando pelo menos. Ahn… eu só mudei de calçada, e meu lugar no fretado da empresa. Acho legal fazer isso. E até esses dias eu estava com o cabelo grande. Fazia tempo que eu não usava esse visual. Esse visual a que me refiro, é o mesmo que eu usava na faculdade de engenharia logo no início. Pra quem não me conheceu na época, eu só usava roupa larga, camisa alternativa ou de banda, boné pra trás com aquele cabelão bagunçado por baixo da aba, e uma barbixa mal feita. Mas fui no cabelereiro, e deu os cinco minutos em mim, e falei para ele que ele podia fazer o que quisesse! rsrs  Foi arriscado, mas ficou legal. Parecido como eu usava antes, porém mais diferente.

Ultimamente, eu tenho notado algumas coisas meio chatas em mim. Às vezes eu me acho mais inteligente que algumas pessoas. Mas quem sou eu pra achar isso!? Eu sou um merda perto de algumas pessoas que eu conheço. Então seria realmente uma característica minha, ou as pessoas realmente são desprovidas de inteligência?  Outra coisa chata, é que eu acho que sou um pouco egocêntrico. Não no sentido de só pensar em mim mesmo, mas no sentido de sempre achar que tem gente me olhando. É uma sensação ruim pra mim, e eu acabo evitando de circular muito.

 

Tem uma menina na faculdade, que a existência dela me intriga bastante. Eu a observo desde o início das aulas, no final de fevereiro mais ou menos, rsrs. Eu estava sentado longe de onde ela estava, e então eu a vi tão longe que mal dava pra identificar o rosto dela, em uma mesa de 3 pessoas, gesticulando bastante, conversando e dando muita risada, e me chamou a atenção. Quando eu vi, uma das pessoas que estava na mesa com ela, é um amigo meu do transporte que eu pego pra voltar. Desde aquele dia, eu fiquei no pé dele para ele me apresentar ela, mas ele não sabia ao certo de quem eu falava. Um mês depois em um belo dia, fomos até uma mesa de amigos dele, e ela estava lá. Eu finalmente pude ver ela de perto, e quando ela saiu da mesa, deu tchau para os amigos dela e me cumprimentou! Eu ganhei a noite aquele dia, XD. Mas desde então, eu nunca mais cumprimentei ela. Nunca troquei mais do que 3 palavras com ela. Mas a existência dela me intriga demais! Desde março, todos os dias eu tento vê-la. Se eu a ver, eu já fico feliz, mas se não, eu pergunto para o meu amigo como ela está. Ele já está de saco cheio de tanto que eu pergunto, rsrs. E esses dias, eis que eu estava no ônibus da empresa indo pra casa, acordei do nada no meio do caminho ainda, entrei na rede pelo celular e soube que ela tinha sofrido um acidente. Na mesma hora meu sono sumiu, e eu li cada detalhe do que havia acontecido. Graças a Deus não aconteceu nada de grave com ela. Mas essa notícia mexeu comigo de uma forma, que eu meio que me toquei mais pra vida. Não perder tempo. Poderia ter sido ela a vítima fatal do acidente, ou qualquer outra pessoa que tenha tanta importância quanto ela, e enquanto eu fiquei esperando a coragem de fazer ou dizer certas coisas, eu poderia ter perdido a oportunidade pra sempre. No final das contas, eu tive um surto de alegria inexplicável! Eu acordei super disposto, bem mais comunicativo, e os dias seguintes tem um outro brilho pra mim. Depois desse acidente, eu não pude vê-la, mas já estou ancioso pensando em como eu vou puxar conversa com ela quando eu a encontrar.

 

Obrigado

Nenhum comentário:

Postar um comentário