domingo, 15 de janeiro de 2012

Desespero desnecessário

Não adianta… essa coisa de ser ancioso demais nasceu comigo e não tem psicologia que me ajude. Sou ancioso demais quanto as coisas que ainda estão pra acontecer em minha vida. Tem vezes que eu fico todo orgulhoso comigo mesmo, e outras horas eu me sinto o cocô do cavalo do bandido.

Começando pela minha carreira. Eu fico me comparando com outras pessoas e sempre quero ser no mínimo melhor que elas. É uma coisa tão fútil dentro de mim! Odeio isso, mas é a verdade. O mau disso, é causado devido à minha mente acompanhar a mente de pessoas mais velhas. Então eu paro e penso bem… todas as pessoas que convivem comigo e estabelecem uma amizade considerável, são no mínimo 3 anos mais velhas que eu! Pensar nisso é o meu alívio. Meus amigos que estão quase pra conseguir o intercâmbio deles, tem o salário que tem porque eles possuem três anos de diferença em termos de experiência. E em três anos dá pra acontecer MUITA coisa, principalmente comigo!

Eu tenho uma ambição de vida que me ferra. Eu quero metas que exigem muito mais de minha dedicação. Eu sei daquela de “correr atrás dos seus sonhos”, e eu corro sim! Eu me preocupo com meu crescimento intelectual, só que não adianta forçar a mente. Se eu não estou disposto a estar estudando qualquer coisa agora e preferindo usar meu tempo para escrever no blog, é problema meu.

Uma coisa que eu sinto falta, é de não ter tido uma vida com um ritmo uniforme. Eu queria ter crescido em uma única casa nos ultimos 10 anos, ter tido contato contínuo com amigos de infância e ter estudado em uma única escola desde o ensino fundamental. 90% dos meus amigos que seguiram essa vida, hoje estão nas melhores faculdades do país. Eis aqui o motivo da maior parte de toda a minha angústia sobre o meu futuro. Toda a vida, desde criança eu vi meus pais darem um duro danado para me darem um estudo de qualidade, com o objetivo de que fosse um investimento para eu passar em uma faculdade descente e ter um futuro promissor. Mas aconteceram coisas até no meio do caminho mais importante para uma faculdade descente. 2007 -  1º ano do ensino médio, estabilidade na escola, 1ª fase do Vestibular na Paraiba, tudo ótimo. Final do ano a mudança. Uma mudança a qual me tirou grandes amigos, e recebi a notícia de que meu resultado da primeira fase do vestibular não teria mais valor no outro estado, o qual também adotava uma metodologia totalmente diferente nas provas. 2º e 3º ano concluidos, sem universidade federal, mas aprovação em um curso de engenharia! 1 ano e meio de curso, uma vida acadêmica estável e reconhecida por grandes profissionais, e uma vida social perfeita… também entraram para o baú de minha vida.

POR ISSO, eu gosto tanto de acreditar que tudo tem um bom propósito. Deus é a minha única esperança.

E ainda acredito que esse ano vai acontecer grandes mudanças, só espero que sejam boas pra mim.

 

Obrigado

Nenhum comentário:

Postar um comentário