segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Primeiro post do ano

Voltei de minhas “férias”. E meu descanço se resumiu a um natal em família, uma semana inteira confinado em um quarto, três finais de tarde bem sucedidos e uma festa de ano novo a qual eu acho que só vou deixar de me arrepender quando eu for em outra só daqui 363 dias.

Bem… todos tem dito sobre promessas para esse ano, mas eu já sou do tipo que não faz promessas. Eu crio metas. Graças a Deus, todas as minhas de 2011 foram cumpridas. Não gosto de comentar sobre as minhas metas para o ano, porque tenho a impressão que as pessoas vão querer copiar, rsrs. Como se fosse A GRANDE COISA… Mas é de mim isso :/ desde pequeno tenho esse egoísmo sem sentido. Talvez até tenha algum sentido; eu não gosto que me copiem. Mas o que que tem o sujeito achar legal e querer fazer também!? Não me entendo.

Tenho bons pressentimentos pra mim. Sinto que estou em uma das melhores fases de minha vida! E são pressentimentos fortes! Nessas horas eu gosto de ter o sexto sentido aguçado, XD Acho que esse ano pode surgir uma namorada. Essa ideia de um novo relacionamento meche muito comigo. Gosto dessa coisa de viver curtindo a mim mesmo e surgirem as surpresas predestinadas.

Nossa, realmente há muitas coisas boas para acontecer esse ano…

PUTZ! Eu vou me formar esse ano! Não vai ter mané festa nenhuma de formatura, mas essa coisa de ter ensino superior completo no curriculum é demais! E com fé em Deus, final do ano que vem eu consigo meu intercâmbio pro Canadá.

Um novo ano, muitas mudanças. Já estou ancioso pelo frio novamente, pelas novas amizades, novas oportunidades, etc.

Eu esqueci de comentar… lembra em um post que eu disse que cabeças iam rolar? pois é, de fato aconteceu. Até de quem eu não esperava. Mas graças a Deus eu não fui demitido. E acho que Ele tem algum plano pra mim naquele lugar. Seja qual for, é o melhor pra mim.

Eu ia falar de um raciocínio meu sobre destino, mas ficaria muito bagunçado isso aqui, então fica pro próximo post.

 

Obrigado

Um comentário:

  1. Adoraria ser otimista assim como você, mas realmente não consigo. Acredito que seja devido ao tipo de ambiente no qual crescemos. Eu por exemplo nunca fui incentivado a nada, nunca tive sonhos ou planos. Minha família é daquelas que vive um dia de cada vez, empurrando as cousas com a barriga e eu cresci assim.
    Eu não faço planos ou metas porque acho que só de seve fazer isso se você tiver condições de cumprí-las.

    ResponderExcluir