domingo, 11 de março de 2012

Protesto ou Desabafo

Não tenho nada certo pra falar. Vim aqui somente por costume, e fiquei olhando por um tempo pra essa tela. Passei a semana pensando em coisas que poderiam ir para a postagem da semana, mas agora eu não lembro de nada. Só tenho o repertório de sempre… surpresas de trabalho e meus argumentos sobre mulheres. E é justamente sobre isso que vou falar (quem já estiver cansado disso, esqueça a postagem daqui pra frente).

Demitiram um cara de um certo cargo bom, e colocaram um amiguinho deles no lugar dele. E isso acontece com qualquer oportunidade lá dentro. Sabe a velha frase de escola “vem comigo que você passa de ano” ? Lá no trabalho é algo semelhante… “puxe meu saco e faça o que eu mandar, que você passa de cargo”. E Deus que me perdoe sobre as coisas que eu penso a respeito desse pessoal. Mas é isso. A oportunidade que eu acreditava ter, está quase indo pro ralo. “Quase”, porque eu ainda tenho experanças que eu tenha alguma oportunidade. Talvez não seja o que eu estava pensando que seria, mas ainda acho que em breve irá surgir.

Mulheres… um bixo de 17 cabeças. Não sei se o que vou falar se adequa mais a um protesto ou um desabafo.

Eu não gosto muito de falar sobre a experiência que eu tenho com mulheres, apesar de ser besteira e sem importância nenhuma, eu só digo que é pouquíssima. Durante toda a minha vida, eu tive muitas oportunidades com muitas mulheres, mas o meu respeito próprio e minha educação sempre falaram mais alto. Até os meus 14 anos, eu achava o máximo os caras que conseguiam mulheres com muita facilidade, e ao analisar tudo, eu achava que eu só teria uma relação algum dia se eu fosse forte. “Por sorte”, um belo dia um médico disse que eu só encorparia se fizesse academia, e foi o que eu fiz. Além de entrar em uma academia, eu me mudei de colégio, que era uma grande mudança na época pelo fato de ser uma espécie de área frequentada onde você tem certa reputação entre os adolecentes que também andam por ali. E eu não tinha reputação nenhuma. Comecei a conviver no meio do pessoal da academia, ficar fortinho, e saber como era a sensação de ter mulheres vindo até mim sem esforço algum. Então acreditavam que eu já era um “pegador” e os pedidos vinham. Eu não sabia nem o que fazer quando ficava sabendo de alguma menina interessada em mim… “A fulaninha do 2º ano”, “Aquela menina lá na escada”, “Está lá na salinha te esperando”, “No banheiro da quadra” … VIXI… e por aí vai. Mas como eu disse, eu mal sabia o que fazer. E o que eu fazia então? Eu dizia não. SÓ QUE, por eu dizer não, eu comecei a receber os mesmos tipos de pedido de mulheres MUITO, mas MUITO mais bonitas ainda. Todos achavam que eu era muito bom, rsrs. Quando na verdade eu mal sabia por onde começar. Então eu fui conhecendo esse mundinho sem nexo. O que eu tinha de legal para atrair tantas mulheres? Porque elas querem alguém que elas nem conhecem ainda? Pra mim não fazia e nem nunca fez sentido isso. Eu sempre fui a favor do “conhecer” antes. Nem que seja um pouquinho, mas trocar umas ideias acho que faz bem. E depois de fazer as meninas passarem vergonha pela minha resposta, eu tentava conhecê-las pra ver se depois ainda rolava algo. E conclusão, todas ruins de conversa e chatas. Nenhuma interessante. Só sabiam falar de “fulaninho fez isso pra fulaninha”, “no meu bairro tem uma menina que é uma $#!$#@”, e nada de interessante. E porque eu sou assim? Tenho muitos amigos que nem ligam pra isso, vão lá e aproveitam a menina ali fácil. Eles não ligam pra quem ela é, se ela está bem, se tem namorado, nada. E porque eu não sou assim!? Dizem que eu não vou aguentar ser assim por toda a minha vida, e que um dia eu vou chutar o balde. Mas acredito que já passei por um dia desses. E sabe porque eu tive vontade de sair “pegando todas” ? Porque eu encontrei uma menina legal e ela me deu um fora. Sim… sempre tive tudo muito fácil e nunca aproveitei, e no dia que eu encontrei uma interessante e levei um tempão pra dizer pra ela o que eu sentia, ela não podia corresponder o que eu sentia por ela. Então entra outra peça. As interessantes estão compromissadas, justamente porque elas são o que são. Um tipo de raridade. Mas senti meu respeito próprio ser rebaixado só de pensar em sair passando o rodo na cidade. Mantive a minha cabeça no lugar e estou nessa até hoje. E agora, existe aquela que me prendeu a ela só de vê-la. Já conheci bem ela, mas estou em um desafio que eu nunca vi antes. Ela é meio que de lua! Não entendo qual é a dela. Eu vejo que ela me vê,  e ela tem amigas indiscretas que me observam pra ela e a alertam sobre minha presença. Só passei a ir até ela na cara dura, porque um dia as suas primeiras palavras pra mim foram “não fale mais comigo”, e disse que era porque eu a via e não falava com ela, rsrs. E conseguir uma brexa pra conversar com ela era difícil porque ela desviava toda vez que eu a via. E agora, fora isso, depois de já termos conversado normalmente, tem vezes que ela pode estar de frente pra mim, que se eu não falar com ela, ela nem fala nada também. Então, como se já não bastasse meu nervosismo e luta interna pra conseguir conversar com ela, ela ainda me faz essas coisas. Quero só ver essa semana como vai ser XD E porque ELA causa isso em mim!? Falo com tantas outras normalmente, mas ela… só com o tempo mesmo pra descobrir, o que eu talvez já saiba o que se passa.

 

 

Obrigado pela paciência

Nenhum comentário:

Postar um comentário