sábado, 26 de maio de 2012

Sup!

“Sup” vem de “what’s up!?” ou como preferimos dizer por aqui; “E aí!? “

Fiquei quase 2 semanas sem escrever no blog, tanto por falta de conteúdo como também por preguiça. Humm, não me recordo muito bem quais foram as minhas ultimas novas, mas vou dar uma olhada aqui rapidinho.

vixi… acabei de ver. Passou um tempinho hein?! Mas jamais abandonarei esse blog! ^^

Pois bem, sabe quando você sabe que tem muita coisa pra falar mas não sabe por onde começar? Esse sou eu. E nem sempre escrevo tudo o que queria. “Que tal começar agora PH?!”

Minha vida acadêmica finalmente está me ajudando! \o/ Pois é, ela deixou de ser aquela professora rabugenta que me ferrava quanto mais eu me dedicasse, e passou a ser a professora flexível :D haha. Pra quem não pegou a época que eu mais ralava nos estudos, saiba que ela não era nada generosa. Quanto mais eu estudava, mais eu me ferrava nas provas, e mais deveres surgiam. Mas AGORA, agora ela está um amor de pessoa! Eu mal tenho tempo pra estudar, fazer trabalho, estudar pra apresentações, fazer atividades extra-classe, etc, e tudo acontece ao meu favor. As provas têm sido bem fáceis, me poupam de apresentações por ter notas boas, me arranjam ações filantrópicas que valem horas extra-classe, e tudo mais! Até já cheguei a pensar a respeito da facilidade. Por eu ter pouco tempo pra estudar, meu cérebro meio que atribui importância máxima para o que eu vou ver em sala, pois é uma das minhas únicas chances de saber algo. E consequentemente eu absorvo o conteúdo com mais facilidade.

Ainda não peguei uma bicicleta, mas semana passada eu coloquei em prática aquele tipo de ideia que não parece que vai dar certo, rsrs. “O QUE QUE TEM A VER BICICLETA COM SEU IMPULSO?!” É só o fato de dar um toque diferente nos meus dias, rsrs Mas voltando à ideia… Plena quarta-feira, recebo o convite de aniversário para o dia 18.

Primeiro: Começava às 20h numa sexta-feira (Faculdade). Segundo: Era em outra cidade (30min. de carro). E terceiro: Menina popular, 18 anos, cheio de amigos, mimimi (Paulo Henrique – estado: Deslocado)

Chegou a sexta-feira, 19h em casa. Pensei bem… ia perder aula, teria que sair correndo comprar presente e cerveja, fora que alguém teria que me levar ou eu pagaria R$100 de taxi. Tinha tudo pra não dar muito certo. E não é que de tanto pensar, deu tempo do meu pai chegar de viagem, me induzir a ir para a festa, se prontificou a aprender o caminho no google e me levar e me buscar! Tomei meu banho, salvei a rota no gps do celular (Deus abençoe o google maps), passamos no shopping, comprei o presente dela (ixi, deu a maior enrolação com a maquininha do cartão, dei meu celular como garantia para eu ir tirar dinheiro e voltar… mó história), meu pai comprou a cerveja, a Regina Bittar, vulgo “mulher do google”, nos indicou o caminho e fomos com Deus! Nossa, valeu super a pena. A minha amiga não acreditava que eu fosse, ficou super feliz (fazia quase um ano que eu conhecia ela e só nos vimos no dia que nos conhecemos), conheci um monte de gente louca,  lugar era legal, tinha fogueira, estava frio, o céu bem estrelado, música boa, churrasco, pessoal inteligente, e tudo mais. Foi muito bom eu ter ido.

Agora eu poderia falar das mulheres que me cegam, do meu trabalho, da louca da faculdade, das minhas saudades, e outras coisas, mas NÃO vou falar. Vou falar do dia do orgulho nerd!

Olha, não tenho uma definição própria do que faz uma pessoa ser nerd, mas algumas pessoas me chamam de nerd. Algumas pessoas tipo, todos os meus amigos. E também não tenho nada contra me chamarem assim. Mesmo porque eu acho engraçado os motivos que levam os outros a me chamarem assim. Eu só sou curioso e sei responder o que me perguntam (80% das perguntas). Gostar de física, matemática, química, e curiosidades derivadas do conhecimentos dessas áreas, seriados, ser caseiro, gostar de ler, escrever, fazer humor com gafes alheias, etc. E tenho essa camisa:

Tenho uma amiga que me disse que antes de me conhecer achava que todos os nerds eram gays! Haha, ainda bem que ela disse que foi “antes de me conhecer”. NERD deixou de ser aquele personagem de óculos, excluido, cdf, asmático, e alérgico à metade das impurezas encontradas no ar (exagerei).

Amanhã vou ver se resolvo acontinuação do meu curso de engenharia pro ano que vem. Portanto, vou nessa.

 

Ósculos e Amplexos

2 comentários:

  1. Acho que o que está acontecendo é que você finalmente se adaptou plenamente a sua rotina, por isso está conseguindo levar as cousas de forma mais organizada.
    Sério que essa sua amiga achava que todo o nerd era gay? Que coisa de gente de mente pequena? Ela também acha que todos os negros são ladrões? Mas enfim, nem todas as pessoas tem mente aberta e há de se perdoar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... eu até perguntei pra ela quando ela me disse, mas falou que não sabia bem o porque achava isso. Mas é uma pessoa extraordinária. É mais a cultura do lugar mesmo.

      Excluir