terça-feira, 10 de julho de 2012

Quando me dou conta de que estou me enganando

Eu saio, escrevo, converso, sorrio, digo “tudo bem”, e uma hora o inverso disso tudo vem até mim. É quando me dou conta de que estou me enganando. Meu passado é um juíz e ele me condena, joga tudo na minha cara e vive me falando que não posso deixá-lo trancado a 7 chaves em minha cabeça eviver o presente ao mesmo tempo. Ele não aguenta mais viver no mesmo ambiente que minhas atitudes não tomadas, minhas palavras não ditas, e todas as outras pendências. Me chama de masoquista, pois me vê frequentemente indo até lá e conversando com todas e sempre deixando a promessa de que cuidarei delas. Mas, ao final da “visita”, eu vou até uma das minhas mais preciosas lembranças, a qual me dá forças para continuar de cabeça erguida e manter o meu eu por mais um tempo.

Obrigado

Nenhum comentário:

Postar um comentário