domingo, 27 de janeiro de 2013

Hoje, não me sinto muito bem pra postar alguma coisa aqui.

Não consigo me sentir bem, em falar de coisas que tem me deixado bem, meus planos para um futuro, ou até mesmo reclamar de acontecimentos.

Eram por volta das 2:30 / 3:00 horas da madrugada, quando essa tragédia começou.

Onde eu estava a essa hora? Bom… eu tinha acabado de jogar no meu video-game, estava em casa com meus pais e minha irmã, todos nós acordados… às 3 horas mesmo, eu estava na cama xeretando no ipod, e escrevendo no blog.

Sei que alguns podem dizer para não me sentir tão mal assim, que pessoas morrem a todo instante, e blablabla. Mas não foi um acidente qualquer! Foram mais de 240 pessoas desesperadas ao mesmo tempo. Nós em casa, ao lado de pessoas que amamos. Alguns chegando em casa, agradecendo a Deus por uma noite tão boa, e enquanto isso, uma tragédia dessas acontecendo! Quanto contraste meu Deus.

Quanta gente nova, com planos, comemorando conquistas, e outros ganhando o “pão” pra sustentar uma família.

Quantos pais na esperança de ligar para seus filhos e ouvir deles que está tudo bem, que saiu mais cedo da festa por ter passado mal.

Quem imaginaria que aquele dia, em uma festa como outra qualquer que já acontecera outras vezes, seria o ultimo dia. Que aquela discussão com alguém não iria ter chances de se resolver outra hora. “O lugar é seguro, tem um monte de luzes de emergência, tem bastante segurança, porta de emergência… Se algo der errado, todos se retiram até resolver o problema e pronto, resolvido.” Mas quem imaginaria que naquela noite, o show pirotecnico iria passar um pouco dos limites? Quem parou pra pensar que a espuma do teto entraria em combustão alguma vez?

Eu tive o privilégio de tomar conhecimento desse tipo de segurança. Muitas pessoas tem, mas não levam para o dia-a-dia.

Não conheço muita gente que frequenta baladas ou esses ambientes de festa fechados. Mas por favor, tome esse cuidado sempre.

 

Provavelmente, as pessoas que sobreviveram vão dizer a partir de hoje que nasceram novamente.

Mas nós estamos vulneráveis a acidentes a qualquer instante. A cada dia, é uma chance nova que nos foi concedida.

Não quero dizer que devemos viver em alerta. Mas tentar mostrar o quanto nossa história é incerta. Não consigo explicar ao certo o que eu sinto.

Apenas aproveite a vida. Mas não se esqueça que ela também te ensina como aproveitá-la.

 

Que Deus tome conta dos familiares e amigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário