sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Hoje não é dia do amigo, meu pensamento sobre graduação, abaixando a poeira, e… não está nada em ordem nesse post.

Hoje é dia da amizade. Dia do amigo, é no dia 20 de julho!

Nada contra quem quizer comemorar hoje… E só estou escrevendo isso, porque era o que eu havia acabado de pensar antes de escrever aqui.

 

Bom… hoje era pra ser um dia produtivo. Mas não foi. Começando pela minha habilidade de agir como se estivesse acordado, desligar meu despertador,e voltar a dormir. Pois é, além de eu fazer contas de cabeça, eu também chego a levantar, andar até o meu celular e desligar ele. Esse sou eu. Agora além de ter que deixar longe, vou ter que colocar pra fazer conta também, aí eu quero ver eu dormir.

Eu queria ter ido no banco, e ter dado uma volta de bicicleta no parque da cidade, ou só passar um tempo no jardim botânico mesmo (lá tem uns bancos com vistas legais).

Só que além de eu ter perdido a manhã inteira, eu tinha também umas atividades do meu curso pra fazer, e acabou chovendo no final da tarde :/

 

Ontem, refletindo com meus botões, acabei que aceitando minhas condições em termos de perspectiva de crescimento profissional. Pois é, não quero usar o termo “acomodado”, pois não chega a ser isso. Acontece que me dei conta de que não estou tão ruim como eu pensava. Poxa vida, tenho 21 anos e tenho 3º grau completo. Tenho amigos e conhecido fazendo tantas coisas na vida, e no meu consciente fica a impressão de que estou ficando pra trás. Mas não! Eu esqueço que eu sempre fui o mais novo de alguma turma. Amigos/conhecidos com carro já, e ganhando um pouco mais que eu… porém eles são 4, 5, 6 anos mais velhos! Não estou tão atrasado como eu pensava.

Graças a Deus eu gosto do meu trabalho, e acho que recebo bem. E o “receber bem” não se mensura somente em valores $$. Como eu já disse pra algumas pessoas, “ganho bem” porque meu trabalho é fácil, tranquilo, sem ter dor de cabeça todo dia, sem chefe pé no saco, tem pessoas agradáveis, e uma série de fatores. Já se fosse pra trabalhar em um setor da empresa por exemplo, que se paga 1/3 a mais, porém todo mundo fica de cabeça baixa, sem muitos diálogos, com um chefe com cara de mosca morta olhando pra você, que não sabe elogiar seu trabalho… isso sim é receber pouco.

 

Lembrei disso, porque hoje a minha irmã foi se matricular na faculdade. A mesma que eu fiz (:

Ela ia fazer um curso de 4 anos (graduação), porém tiveram pouca demanda pra esse curso, e então ela escolheu o paralelo a ele, um tecnólogo. A princípio, eu não tinha gostado quando ela me falou que “pra não ficar parada, eu me matriculei em outro”, quase tive um treco, rsrs. Alertei pra não falar isso na frente de um professor.

Mas depois que soube que ela entrou para o mesmo curso, porém tecnólogo, eu fiquei mais tranquilo.

Um curso de tecnologia, é nada mais, nada menos, do que o mesmo curso, porém mais voltado diretamente ao campo de trabalho, lhe poupando de todas as teorias que você não vai usar pro resto da vida. (professores dizem isso)

Sem contar que é ensino superior, 3º grau como todos os outros.

Na hora de arrumar emprego com o diploma de graduação e um de tecnólogo, é um pouco diferente sim. O problema para quem é graduado, é que no senso comum, merece ser mais bem remunerado do que quem estudou menos tempo, certo? Mas como eu disse; “merece” . A pessoa merece, mas do lado do curriculum dela, tem uma outra pessoa, que estudou a mesma coisa, tem o assunto prático mais fresco na memória, e logo passa a sensação que vale mais a pena contratar essa pessoa. E depois é prática. Há quem não tem formação nenhuma, e que é chefe de quem tem formação. Tudo questão de fazer o seu convide de apresentação…

-----------------------------//-----------------------------

Faço isso quando troco de assunto repentinamente

 

Ultimamente tenho tido boas sensações sabe… Estou empolgado com algo, feliz, sem saber ao certo com o quê. É espontâneo ^^

É bom sentir isso.

 

No mais, é só isso mesmo.

Obrigado pela paciência.

 

Ósculos e amplexos

Nenhum comentário:

Postar um comentário