sábado, 2 de fevereiro de 2013

Seria mesmo o “silêncio”, minha melhor companhia?

Tem vezes, como agora, que me pergunto um tanto revoltado, sobre o porquê de certas coisas acontecerem em minha vida.

Sério mesmo.

Tenho aquele meu lado de “pra tudo há um bom motivo”, de minha vida planejada por Deus, e tudo mais. Mas tem horas que desconsidero esse lado.

É horrível!

Porque temos que aprender dessa forma?! Porque tantos altos e baixos!? Porque deixar acontecer, se poderia me ensinar de outra forma menos dolorosa?

Há quem possa ler isso, e dizer que sou um garoto que não entende nada da vida direito e queira mandar eu calar a boca. E se você é essa pessoa, saiba que eu lhe julgo como um indivíduo acomodado. Sim, você tem medo ou não gosta de pensar onde pode chegar em uma linha do tempo, e descobrir que poderia sim ser melhor.

O destino é uma grande e ótima desculpa pra “esclarecer” tudo. Mas porque ter medo de pensar em um destino paralelo?

No seu destino paralelo, você visualizou que poderia dar algo errado? Errado como? Se você não sabe o que pode vir a acontecer depois…

Às vezes me revolto.

E no que eu influenciei na vida/destino das pessoas? O que eu fiz? Me conheceu, mas aprendeu algo comigo? Eu mudei alguma coisa? Se mudei pra pior, me desculpa. Se não, como pode saber que foi pra melhor? Eu queria saber…

Diante de tantas pessoas que passaram pela minha vida, acredito que são poucas as que eu tenho conhecimento de suas influências sobre a minha vida. Mas a questão é que eu queria saber o propósito final. E acho que nunca saberei. O destino trabalha em uma constante! É uma bola de neve que só para de rolar e crescer, quando encontra o “final da linha”.

 

 

 

E se…

2 comentários:

  1. Acredito que todos fazemos esse questionamento. Um conhecido meu muito querido morreu de acidente de carro anteontem e isso além de me abalar, está me fazendo repensar muitas coisas sobre a vida, ou seja, tirar lições da tragédia. Mas eu me pergunto por que é que temos que acabar aprendendo mais com o sofrimento do que com as alegrias. Seremos nós seres tão teimosos que só aprendemos quebrando a cara ou diante de cousas ruins? Eu realmente não acho resposta para essa pergunta.
    Ganhei uns selos pro meu blog e entre os blogs que indiquei para também ganhar, indiquei o seu. Caso queira, estão lá no meu último post para você pegar. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, sinto muito Eduardo :/
      Graças a Deus ainda não sei o que é perder uma pessoa querida.

      Essa questão deve ser impossível de se responder mesmo. Ç_Ç só dá dor de cabeça.

      Legal, eu vi lá agora ^^
      Obrigadão por indicar.

      Abraço

      Excluir