quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Nada novo para quem já me conhece

Alguém que acha que me conhece: “PH, você está desempregado, prestes a sumir do Brasil por 6 meses, e fica em casa de noite!? Qualquer cara gostaria….”
E aí segue todas a vontades de “qualquer cara”, todas relacionadas a se envolver com alguma mulher temporariamente.

Haha, nem preciso dizer o que eu disse né?

“Mas se você não fizer isso, você nunca vai achar uma namorada!”

Primeiro de tudo… Isso é uma baita de uma covardia com qualquer mulher. Apesar de ter um monte delas por aí com essa mesma intenção de só curtir a noite e tal, querendo ou não, mulheres tem muito mais aquela coisa de “achar a pessoa perfeita” do que os homens. E aí você acaba iludindo ela, sem querer. Mulher é muito mais sensível! Eu não sei se estou exagerando, ou se é porque eu que não suporto ver mulher sofrendo. É de partir o coração ver alguma amiga sofrendo por causa dessas coisas. Enfim, pra mim não rola fazer esse tipo de coisa.

 

Só abri mão disso, uma única vez, que foi com uma menina na faculdade ainda, que me encheu o saco, mas MUITO mesmo, e eu acabei tendo dó dela, e tentei transformar em amizade aquele sentimento possessivo que ela tinha. Olha… fiz de tudo. E pra mim aquilo estava se tornando natural, a amizade foi desenvolvendo, mas eu ainda não sentia algo mais especial. E então, simplesmente no meu ultimo dia de curso, ela surta, soltou tudo o que tinha pra falar praticamente, e disse que eu estava enrolando! rsrs. É cada uma que eu passo…
Aí está vendo como são as coisas? Pra mim não passava de uma amizade, que por acaso, eu dei chance para que se desenvolvesse. E na cabeça dela, já havia algo a mais implícito. :/  E bem, ela me intimou, e eu fui extremamente sincero com ela. Se ela queria algo superficial e sem sentimento, ela teria. E a nossa breve amizade nunca passou das quatro paredes da faculdade. Não me senti bem fazendo isso. Mas fui sincero. E nunca mais nos falamos. Se tivesse deixado as coisas fluirem naturalmente, provavelmente ainda seríamos amigos hoje.

E apesar de eu não sair muito, na hora que for pra aparecer alguém legal, vai aparecer, e se for pra acontecer algo, que aconteça. Passageiro ou não. Mas tudo naturalmente. É como uma música do Frejat diz: “Pode ser que eu a encontre, numa fila de cinema, numa esquina, ou numa mesa de bar…”

Como já me aconteceu. Começamos conversando, desenvolvemos um sentimento em comum além da amizade, porém foi algo que apenas rolou, não se manteve. Mas nem por isso foi superficial. Teve uma amizade sincera, um afeto, mas passou. E ela é minha amiga até hoje… conversamos normalmente. Muito melhor, não acha?

E uma namorada pra mim, será uma amiga. Uma noiva será uma amiga. Uma esposa será uma amiga. Ter uma namorada é isso. É aquela amiga que você adora a ter por perto, mas como sua namorada, você será tipo um amigo vip, rsrs. Vai adorar fazê-la sorrir, não mais para conquistá-la, mas apenas porque ama o sorriso dela. Ela vai te fazer se sentir o homem mais forte do mundo quando ela estiver com medo de alguma cena de terror. Às vezes, o abraço dela será tudo o que você mais precisa. Ambos não terão segredos um com o outro. É como se tivesse acesso livre aos pensamentos dela, e ela aos seus. Ou só ela aos seus. Ela vai te juntar de lado pra falar alguma fofoquinha rotineira, vai querer contar sobre o trabalho dela, curso, entre outras coisas, e você ouvirá tranquilamente, mesmo se estiver cansado. Talvez você adore provocar ela só pra ver a cara de brava. Você vai ouvir “músicas de mulherzinha” no seu carro, e se der sorte, pode flagrá-la cantando uma de suas músicas em um microfone imaginário. E por aí vai… Tem tanta coisa.

 tumblr_mryh5a3chF1qlkzzpo1_500

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Filmes nas minhas “férias”

A menina que Roubava Livros  Ç_Ç
Sem palavras… foi a primeira vez que chorei lendo algo, e chorei no filme também! Não sou de chorar em filmes, mas acredito que isso foi influência do livro. Li o livro em 2010, e já assisti o filme duas vezes, sendo uma vez na estréia, e a segunda vez com a minha mãe que veio me visitar.

Prometheus
Legal, mas não posso falar nada, senão é spoiler.

Um dia 
Só depois que assisti ao filme, que eu fiquei sabendo que existe o livro :/

Questão de tempo
Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito bom! Adoro filmes desse tipo.

A big love story
Outro filme que adorei demais! ^^

 

Músicas que descobri nos filmes

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

For want of nail

Minha coragem para voltar a escrever, chegou por meio de um blogueiro, que hoje sou muito grato pelo texto dele, e mencionou o seguinte provérbio:

For want of a nail the shoe was lost.
For want of a shoe the horse was lost.
For want of a horse the rider was lost.
For want of a rider the message was lost.
For want of a message the battle was lost.
For want of a battle the kingdom was lost.
And all for the want of a horseshoe nail.

Por falta de um prego, a ferradura se perdeu
Por falta de uma ferradura, o cavalo se perdeu.
Por falta de um cavalo, o cavaleiro se perdeu.
Por falta de um cavaleiro, a mensagem se perdeu.
Por falta de uma mensagem, a batalha se perdeu.
Por falta de uma batalha, o reino se perdeu.
Tudo pela falta de um prego de ferradura.

O que a wikipedia diz: "For Want of a Nail" is a proverbial rhyme showing that small actions can result in large consequences.

Que nas palavras do Izzy Nobre, fala a respeito do quanto pequenas e aparentemente triviais decisões ou enganos se potencializam em resultados que mudam uma situação de forma irreversível (e às vezes catastrófica).

E o Izzy fez uma postagem muito legal, com a retrospectiva dele, nos ultimos 10 anos. E por mais estranho que pareça, foi o segundo texto que me fez chorar em toda  a minha vida. Não sei ao certo o que foi… Mas o fator “essa decisão vai definir sua vida”, é incrivelmente visível no texto dele, e eu me identifico muito!

Andei refletindo muito nesse tipo de coisa nesses ultimos dias. Principalmente de madrugada. E pra completar, assisti a um filme que retrata um pouco esse tema (mudança de decisões).

Estou passando por uma fase meio chata que eu achei que já tinha superado. O problema, é que a minha “técnica” para superar tudo, sempre dependeu de não vivenciar as lembranças de algo que preciso esquecer. Apaguei postagens, editei referências à pessoas, exclui fotos, etc. Tudo para que eu não me recordasse e sofresse novamente.
Porém, a minha vida está repetindo algo que já passei exatamente nos mesmos pontos, em quesitos de fatos e datas também.

Se eu não conseguir esgotar todas as minhas energias antes de dormir, será impossível fazer as lembranças pararem. Elas explodem, e fazem referências em minha mente. A diferença é que as pessoas que me tiraram desse “buraco” em 2010, não estão mais presentes na minha rotina. Diria até que foram 3 grandes anjos que me ajudaram naquela época. A primeira pessoa, me tirou do buraco. A segunda, que inclusive fez aniversário esses dias, iluminou meus dias até o meu ultimo dia naquela cidade, e me fez prometer que, apesar de tudo, eu não deixasse de escrever :’) E o terceiro anjo, esteve comigo em alguns dos melhores anos de minha vida, e depois de 3 anos e meio, o verei novamente agora em fevereiro :)

Reviver essas sensações e sentimentos, me faz pensar muito no famoso “e se…”. E no final das contas, apesar de todas as minhas boas intenções, me desperta um leve medo em querer saber o que seria de mim hoje, se tivesse tomado outras decisões. Gosto da maneira como a vida é incerta, na mesma intensidade de quando recebo um descarga de adrenalina.

E como sempre presencio em minha vida, mais uma vez testemunho que tudo tem uma hora certa pra acontecer. Meus meses de janeiro a agosto, daqui pra frente terão outro significado pra mim durante a minha vida. Bons acontecimentos pela frente, para substituir os velhos que me perseguem.  É disso que eu precisava :D

Ósculos e amplexos  XD
Obrigado

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014