domingo, 31 de agosto de 2014

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Conclusão

A melhor prova pra mim, de que muitas vezes estive errado, sou eu mesmo.

Acontece que o coração daquele que se dizia o consciente e julgava aqueles que se deixavam levar pelos sentimentos, flagrou a consciência do dito cujo passeando por entre seus devaneios.

“E como é bom…” – Consciência

onde o coração habita

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Espera

 


esperando por ela

Felicidade súbita

Depois de 6 dias, acho que posso dizer que estou oficialmente reinstalado no Brasil. Cheguei dia 21, um dia antes do meu aniversário. Pra mim, parece que foi tudo um sonho… Não sinto como se tivesse passado tanto tempo fora. Não tive um choque muito grande ao ver tudo, porém no princípio estranhei demais pessoas que eu não conheço falando em português. Eu estava acostumado a apenas ver meus amigos falando português, e aqui assim que cheguei no aeroporto já deu um nó na cabeça quando alguém me cumprimentou com “Bom dia”. Deu um leve atraso na mente pra entender aquilo. Enfim.

Teve probleminhas pra resolver com banco e empresa, mas hoje graças a Deus foi tudo resolvido.

E hoje me bateu uma felicidade muito repentina. Não sei dizer o motivo, apenas senti. Estou muito em paz e satisfeito… sinto que coisas boas estão para acontecer.

Então aproveitei pra curtir o momento no meu computador, no meu cantinho especial, com a brisa que entra pela minha janela, aqui, escrevendo.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Quem diria…

20140810_145123000_iOS

Como todos dizem por aqui no ultimo dia de aula; “time flies”

Sexta (08/08) foi minha graduação na escola. E eu não preparei nenhum discurso, pelo fato de todas as vezes que eu pensava no que falar no discurso, eu já chorava. Então preferi ser tomado pelo nervosismo e criar um na hora da graduação. E foi exatamente o que você pode ver na foto, eu estava de pijama. Porque dia 08 foi também o dia do estudante aqui, e a escola decidiu fazer um dia mais especial. Todos deveriam ir de pijama, levar umas tranqueiras pra comer, assistir filme, e ter um almoço especial do lado de fora da escola. Eu cheguei a ir de pijama completo, mas pensei que não seria uma boa ideia usar a calça do pijama na frente de tanta gente. Enfim… Ano passado eu assistia ao vídeo da escola todo dia no meu celular, e dizia pra mim mesmo que essa era a escola que eu queria estudar, e um ano depois, lá estou eu, graduando na escola de intercâmbio que eu tanto almejei estudar.
Pra maioria ali, não é uma sensação muito forte, mas pra mim é. Foi um sonho que se realizou. Foi tudo como eu imaginava que seria. Criei muito carinho por todos, e me senti em uma família.

Agora deixando a escola de lado, Calgary pra mim foi muito mais do que eu esperava. Nunca pensei que eu teria tanta história, e tanta experiência nesse tempo. Não fiz algumas coisas que eu achei que faria, mas fiz muuuuuuuito mais do que eu esperava.
Conheci gente demais! Acho que no mínimo 100 pessoas.

Os orientais são as pessoas mais engraçadas que eu já vi. Eles fazem brincadeiras com o quanto são rigidamente diciplinados, rsrs.
Os latinos são muuuuuuuuito gente boa!
Os alemães são bem fechados.
Os suíços, belgas e italianos são como nós Brasileiros, iguaizinhos!
Os russos são muito legais! Não vi nada de frieza como são estereotipados. A que eu tenho mais contato, é um amor de pessoa, e bem divertida.
E quanto aos canadenses, eles variam muito de um pro outro. Tem muitos ainda que são cabeça fechada para o mundo. Mas infelizmente devido à criação de pais tradicionais demais. Estes são frios, e não socializam muito. Porém tem canadense que tem comportamento de Brasileiro. São sorridentes, amigáveis, educadíssimos ao extremo, adoram conhecer gente de fora, e tudo mais.

-----------------------------------------------------------------------

Meu primeiro Selfie ^^

WP_20140225_012

Meu ultimo Selfie

10552401_10152605959589626_6915502663081586593_n

Uma leve sequência de fotos para comparação
WP_20140516_001

WP_20140530_001

WP_20140715_001

Saí de Jundiai nos 32 graus, cheguei em Calgary nos –36 graus. Passei pelo dia mais frio do ano, aos –45 graus na rua, passei pela sensação dos 35 graus no verão recentemente, o qual me queimou mais do que eu me queimo no Brasil.
Cheguei com 69Kg e ganhei 1Kg por mês fazendo academia. Que é algo que eu não tinha mais o costume de fazer, mas foi uma decisão boa fazer isso aqui. Me proporciona muito bem-estar.

Conheci um monte de parque, fui pra Toronto, fui em balada, conheci um monte de pub, um monte de cafeteria, fui pra um monte de evento, conheci uma cantora local muito boa e fui nos shows dela, comprei muita coisa pra mim, etc. Fiz MUITA coisa.

Vou sentir falta de mal esperar na calçada para atravessar, e todos os carros pararem imediatamente, vou sentir falta de poder andar em locais isolados sem me preocupar com assalto, poder andar no metrô com a mochila de lado ou no chão sem preocupação, mas mensagens de “have a nice day” em todos os letreiros digitais, de esquilos por todos os lados, das ruas com música, das decorações da cidade, do sol se pondo às 10 da noite no verão, do céu azul piscina no inverno, ninguém ficar reparando como estou vestido, dos elogios simples, Star Bucks em um raio de 500 metros, tim hortons a cada 2 quadras, as casas sem muros, a cor da água do rio, e tantas outras coisas… foi tudo muito incrível.

Com certeza esqueci de por mais algumas coisas, mas nos meus próximos posts eu vou comentando.

E termina aqui, provavelmente meu ultimo post do meu intercâmbio.
Obrigado pela paciência.