quinta-feira, 30 de outubro de 2014

História de bêbado

Essas histórias vêm deste que vos escreve. Sim… Já fiquei bêbado (3 vezes na vida).
Só tem um porém, eu não fico dando vexame, e lembro de TUDO, sempre de tudo (como se eu ficasse bêbado com frequência). Obviamente não me orgulho disso, detestei me encontrar nessa situação quando aconteceu, mas de certa forma é história pra se contar. Não me arrependo das coisas que faço. Me arrependeria se eu tivesse feito alguma besteira.

Os primeiros sintomas de que estou bêbado:
- Atraso na recepção de imagens no cérebro. É um atraso engraçado e preocupante ao mesmo tempo. Se estivermos bebendo um dia, e você me ver olhando bem rápido para os lados, é porque certamente estou curtinho o primeiro “baratinho” que o álcool causa no cérebro. É interessante observar que eu viro a cabeça mais rápido do que a imagem chega em meu cérebro. É algo muito rápido, mas dá pra perceber porque dá tontura.
- Mundo balançando. Parece que você está em um barco em uma maré calma, mas ainda sente aquele “balanço”.
- Risos com mais facilidade.
- Fico falante, como se tivesse tomado energético.
- Sou capaz de dançar.

Como eu disse, apenas 3 vezes na vida. Sendo a primeira em Aracaju, com 18 anos, seguido de um “Nunca mais vou fazer isso”.
E as outras duas (nunca diga “nunca”), em Calgary.

Vou contar apenas uma das histórias… Se tiver pique para escrever sobre as outras, eu escrevo.

Tudo começou, com o aniversário de um amigo brasileiro, que quis comemorar em uma das maiores baladas da cidade, chamada Cowboys. Eu nunca tinha ido lá, e foi a segunda vez na vida que fui em uma balada.

Combinei de ir junto com um outro amigo brasileiro, o qual é praticamente movido a álcool. E aí começa a “desgraçalhar” tudo. Foi uma mistura de “estou no Canadá” e “que se foda”, que me fez entrar na onda do parceiro.
Ele dizia ter a fórmula perfeita pra ficar BÃO na festa. Confiei nele e “vamos ver no que dá samerda”.

No Canadá, não pode ingerir bebida alcólica na rua… MÃÃÃÃss, E se ninguém ver? Aiai viu… Ele era mestre em fazer aquilo. O esquema foi ir em uma loja de bebida, compramos cada um uma garrafinha de vodka, que deve ter uns 200 ml, e uma latinha de energético. Depois fomos a um mc donald’s, compramos refrigerante, e bebemos tudo. Antes de entrar no trem, ele foi até um canto, e misturou as vodkas com os energéticos dentro dos copos do Mc donald’s. E aí fomos bebendo dentro do trem até a balada. Em razão da primeira bebedeira de minha vida, eu ter passado mal, eu não suporto o cheiro daquela mistura. Então bebi um pouco mais da metade só, e o aniversariante me fez o favor de terminar o que eu ia jogar fora.

Cheguei lá e queria tirar aquele gosto da boca, então comecei a tomar cerveja. Estratégicamente, levei pouco dinheiro para não beber muito lá dentro. O problema, foi que um outro amigo chegou lá com o sorriso de uma orelha à outra, cheio de dinheiro que tinha acabado de ganhar no cassino local. Começou a pagar rodadas e mais rodadas de cerveja e tequila. Eu poderia ter me controlado e não ter bebido toda hora? Sim, mas se eu estivesse normal.
Eu estava bem alegre kkkkkkkk Muita gente da escola estava lá, então foi algo bem divertido. Certas cenas acredito que nunca sairão da minha cabeça. Como o “sanduíche” que fizeram com a gordinha suíça, e fizeram ela se soltar kkkkkkkk ou a moça feia que chamei pra dançar. Naquela noite, me disseram que dancei com a mais bonita e a mais feia da festa XD Não que eu tenha saído dançando com todas por lá. Foram só três. Eu estava parado, e minha amiga me disse que a canadense queria dançar comigo, mas ela ia me ensinar antes. Me ensinou e mandou eu chamar a branquela pra dançar. Dancei com ela, e depois dancei com a feinha. Só.

Então no final de tudo… 2 da manhã fecha tudo lá. Saímos, e meu amigo que foi comigo, estava muuuuuuito bêbado. Saía falando com todo mundo, em português, inglês, e com sotaque de italiano.
Fomos esperar o trem, porém, incrívelmente ele lembrou que eu havia esquecido de pegar a jaqueta no guarda-volumes. Ele voltou comigo lá, peguei ela, mas perdemos o trem. Tivemos que esperar um tempão o outro. Porém, em um piscar de olhos, eu já estava capengando de sono no banco da estação, e meu amigo deu um tapão do meu peito e chamou pra entrarmos no trem. Depois daquilo, mais um piscar de olhos, uma confusão, e uns gringos rindo de nós.
Eu:  Que merda que você está gritando aí ôh!?
Ele: Os caras ali rindo da gente.
Eu: Porque a gente está dormindo e você nem sabe porque está bravo.
”Próxima estação, 4th street station”
Eu: Ih caramba Filipe, acho que estamos indo pro norte! (Morávamos no sul)
Ele: Não, pegamos o trem do lado certo, eu vi.
Eu: Eu sei, eu também vi. Juro que pegamos do lado certo.
”Próxima estação, 7th street station”
Eu: Nooooossssa mano! Estamos indo pro norte!
Ele: Mas que merda véio! Como isso?! Tem como não!
Eu: Vamos logo, que sei lá como também isso foi acontecer. vamos aproveitar, e entrar no Macs (Loja de conveniência 24h com cachorro quente delicioso por 2 dólares).

Chegamos na loja, e vi a cena mais cômica da noite.
Meu amigo bêêêêêbado, tentando abrir a porta do lugar empurrando ela, e enquanto obviamente ela não abria, chegou outro bêbado da rua, todo esculhambado,viu ele lutando contra a porta e disse algo como “que merda!”, achando que estava fechado. Eu parei de rir, fui lá, e puxei a porta. Foi como abrir as portas da felicidade para aqueles dois. Mas não tinha o cachorro quente sagrado.

Pegamos o trem certo de volta pra casa, já mais orientados. Chegando na nossa estação, olhei o painel dos ônibus, e o primeiro do dia, ia chegar às 5:12. Que horas eram? 5 horas!!! O que fizemos tanto entre as 2 e as 5?! Mistério. A nossa única teoria para esse buraco no tempo, é que pegamos o trem certo na primeira vez, porém quando ele chegou na nossa estação (a ultima do sul), ele voltou para o norte com a gente lá dentro ainda. Única teoria.
Mas continuando… teoricamente eu estaria em casa às 5:30. Se não tivesse acordado dentro do mesmo ônibus ainda, às 6:30! Com a testa toda amassada e somente eu no ônibus, eu não fazia ideia de onde estava. Aos poucos fui identificando os lugares, e bem em cima da hora percebi que estava chegando na minha rua. 6:45 da manhã entrando em casa em plena manhã de sexta-feira… Claro que não fui nas primeiras aulas daquele dia.

“Vamos registar o momento”
WP_20140711_003

Obrigado pela paciência

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Sobre esperimentar shows, inglês na minha vida, final das eleições, e projeto 100 páginas.

Falltam praticamente 3 dias para o Circuito Banco do Brasil, e eu não estou animado somente pelo Paramore como eu já estive antes. Dessa vez, o meu ânimo é devido ao fato de ser um evento grande, shows, músicas boas, e na companhia de pessoas que eu gosto. Ir a festivais de música é algo que eu acho que todo mundo deveria fazer ao menos uma vez na vida. A energia do lugar, é algo que você não consegue em outras experiências. Aliás, cada experiência tem a sua característica particular né? Saltar de paraquédas, montanha-russa, snowboard, surf, brinquedos insanos, etc. O primeiro show grande que fui na vida, foi do Paramore em 2011. Depois, fui em todos os eventos que eram possíveis. É definitivamente algo que todos devem esperimentar.

-------------------------------------------------------

Tenho tentado praticar e continuar com o meu inglês de alguma forma. Não é muito fácil, porque todas as coisas são chatas de se ver, quando são fáceis. Não estou dizendo que meu inglês é o fodão e tal, mas é que o que se tem de fácil acesso, é o básico que muita gente já domina. O que pessoas em um nível avançado precisam, é um ensino mais profundo do inglês. Mas deixando isso de lado, eu tenho tentado fazer como sempre fiz por conta própria; aumentar o vocabulário. O engraçado, é que quando converso em inglês com alguém via chat, e aí saio do computador, tenho aquele breve atraso cerebral de conversão de línguas. Um pouquinho de nada que estudei, fez com que eu quase soltasse um “sorry” quando esbarrei em um cara.
Estou pensando em voltar para a escola que eu estava estudando só pra ter aquela coisa de fazer atividades durante a semana, e conversar em inglês durante pelo menos duas horas por semana. Já ajuda bem.

Falando em inglês, provavelmente eu faça curso de graduação em comércio exterior ano que vem. Pois é… tem a questão de fazer a pós-graduação, mas ainda sou novo. O curso de Comércio exterior tem 2 anos de duração só. E cursando ele, as minhas chances de trabalhar fazendo uso do inglês, são bem maiores. Depois que estiver cursando e ganhando um pouco mais, será até mais fácil de fazer a pós-graduação.

-------------------------------------------------------

E essas eleições hein? Sem comentários… Digo não pelo resultado, mas pelo povo Brasileiro. Pra mim foram as eleições mais violentas que já vi. Nunca vi tanta gente brigar por causa de política. Fora essa barbaridade de quererem separar regiões do Brasil por causa dos resultados. Uma vergonha esses sulistas que têm preconceito com nordestinos, e uma vergonha também, esses nordestinos que ficam exaltados e acabam generalizando as agressões ao sul.
Eu morei no nordeste 10 anos, tenho muitos amigos de lá. Então minhas páginas de redes sociais estão um verdadeiro caos. Porém, não vi nenhum, NENHUM, amigo sulista postar coisas do tipo, já meus amigos nordestinos, muitos estão fazendo uma tempestade em um copo d’água por causa disso.
Nesses 10 anos que morei lá, vi um povo acolhedor, feliz, e muito dedicado aos estudos, mais que aqui em SP. Porém, observei também, que um certo complexo de inferioridade atinge muitos deles. Se sentem vítimas com qualquer coisinha. Esse tipo de gente, é aquela pessoa que você não pode oferecer ajuda por educação, que ela já vai dizer você acha que ela não é capaz de fazer tal coisa sozinha. Enfim.

-------------------------------------------------------

Sabe o projeto verão, que todo mundo malha pra ficar mais bonito no verão? Então… Eu não estou fazendo XD

Pensei no projeto 100 páginas por dia. Não é muita coisa, mas se estabelece isso como meta, eu vou ler muitos livros em menos tempo. Estou muito relaxado ultimamente. Tudo bem que depende do livro, mas o problema é que estou com um livro bom atualmente, porém desperdiço um tempo enorme com outras coisas. Comecei segunda… já dei uma avançada boa no livro, que tem 745 páginas. E fora que estou estranhando a velocidade com que termino um livro, porque já é o segundo livro seguido com mais de 700 páginas que estou lendo. Antes deles, a média de páginas dos livros que eu lia, eram 400 e poucas páginas. Rapidinho chegava no meio deles, e isso empolgava para terminar logo e começar outro livro.
Vamos ver se dá certo isso.

-------------------------------------------------------

Acabou. Obrigado pela paciência.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Algo diferente

Esses dias recebi uma proposta de emprego, mas as condições eram muito ruins, e fora que não dava perspectiva de crescimento dentro da empresa.

Hoje fui acordado por uma ligação de outra empresa para fazer entrevista, o salário soou interessante (pouco para o que eu quero, porém mais do que eu ganho pelo seguro desemprego), vamos ver no que dá.

Esse final de semana foi bem gostoso… conheci pessoas novas, que são amigos de uma amiga e muito gente boa, fui para uma apresentação de um coral muuuuuuuito legal que cantaram músicas famosas de filmes.

Eu sempre quis ir no teatro aqui, mas nos meus dois meus primeiros anos em Jundiaí, eu mal tive tempo pra me coçar, quanto mais ir para teatro, mas morria de vontade. Então terminei a faculdade e fiquei com tempo de sobra, porém, como eu só vivia trabalhando e dentro de casa antes, eu não tinha amigos dispostos a ir em teatro comigo, e em casa ninguém nunca apresentou algum interesse. ´Mas se eu não me engano foram só umas 6 apresentações ano passado que eu tive interesse de ir.

teatro

sábado, 18 de outubro de 2014

Sensação chata

Eu não consigo achar o que quero
Queria as minhas músicas favoritas e o tempo do mundo para escutá-las deitado no escuro.
Queria assistir meus filmes favoritos.
Queria assitir todos os episódios de How I met your mother de uma vez.
Reviver os shows que já fui.
Queria reassistir todos os 8457 dias de minha vida.
Ou simplesmente, dar um abraço bastaria pra acalmar essa mente inquieta.

Lennon & Maisy - "That's What's Up" (Edward Sharpe & The Magnetic Zeros)

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Quando a minha imaginação age mais rápido antes que possam me impedir de falar.

Isso foi uma breve conversa com uma amiga, que, bem… Ela disse que eu precisava de ajuda profissional pra me tratar. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Paulo Henrique: Teve uma russa que ficou dando ideia em mim... Kkkkkkkk ai deu pra ver a cara de decepção dela quando ela soube que eu era brasileiro
Paulo Henrique: Mas aí ela continuou a falar comigo mesmo assim.
Paulo Henrique: Perguntava de casamento no brasil como era
Patricia : Hahahahavahaha q moral q tem tb? Russo é tudo estranho
Paulo Henrique: Queria me arrancar um visto brasileiro
Paulo Henrique: Kkkkkkkkkk
Paulo Henrique: Ela é bonita até
Paulo Henrique: Mas eu já estava gostando da minha namorada
Paulo Henrique: Aí não senti interesse por ela
Patricia : Tendiii. Melhor assim
Patricia : Q futuro ia ter tb?
Paulo Henrique: Kkkkkkkkkkk
Paulo Henrique: Ela ia me iludir
Paulo Henrique: Eu ia me casar cedo com medo da máfia russa me matar
Paulo Henrique: Ai ela ia achar um saradao modelo das galáxias no caranaval do rio
Paulo Henrique: Ia se divorciar de mim
Paulo Henrique: E eu estaria com título de divorciado antes dos 30
Paulo Henrique: Ai eu ia publicar meu diário que fiz enquanto estive com ela
Paulo Henrique: Ia virar um best-seller
Paulo Henrique: Aos 32 anos eu estaria rico, com título de coitado romântico com medo do amor, cheio de mulheres dando em cima de mim
Paulo Henrique: Eu iria deixar o Brasil, e viajar pelo mundo para entrar em paz com meu eu interior e achar uma chave para um amor de sucesso
Paulo Henrique: Ia voltar de viagem sem essa chave, mas com muitas palavras sábias sobre como encarar os altos e baixos da vida
Paulo Henrique: Publicaria outro livro sobre minha experiência
Paulo Henrique: Com fotos que estou sujo no meio de animais selvagens, e trabalhando duro em aldeias.

Ela mandou eu me tratar.
Mas depois já queria comissão na venda dos meus livros.

Quero ir a alguma igreja

A ultima vez foi em Calgary, 17 de agosto. E já fazia tempo também que eu não ia. A igreja de Calgary é legal, mas tem uma coisa que eu não gosto, que tem em quase todas as igrejas que eu já fui. É um tipo específico de pessoas que eu procuro evitar. São aqueles que são uma coisa na igreja e totalmente outra fora dela. Gente que fica reparando nos outros. E os extremistas que julgam o comportamento deles como o ideal.
Deus que me perdoe, mas não vejo necessidade também em ficar gritando em oração, sem contar que atrapalha todo mundo que está perto.

E eu já estava até aceitando essa coisa de deixar as pessoas de lado, mas aí tem o pastor que fala tanta merda na que eu “frequento”, que o que me desanimou lá foi ele, que é psicólogo profissional, e fica julgando todo mundo de forma generalisada, a partir de observações que ele faz no cotidiano dele. Eu definitivamente perco o foco quando ele faz isso. Mas não deveria ligar pra isso.
Eu tinha decidido não ir mais pra essa igreja, mas ainda não achei outra, e faz 9 meses que não vou lá, então acho que darei mais uma chance a ela.

Como eu já disse algumas vezes, eu me considero um abençoado, e tenho uma relação muito boa com Deus. Sempre tenho respostas muito rápidas e claras. Acredito que esses dias seja Ele que esteja pedindo para eu fazer uma visita. E é isso que eu farei, pois eu confio nEle.

 

Obrigado

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Esses dias

Primeiro de tudo….
QUE CALOR!
Hoje eu acho que será o dia menos quente da semana. Na previsão, a temperatura só tende a aumentar, chegando a 38º no domingo D:
Ontem de noite estava impossível! 2:30 da manhã eu fui tomar meu banho, na água fria que parecia morna, só coloquei uma cueca e fui deitar só de cueca, de tanto calor que eu estava sentindo. Pra se ter uma ideia, acho que a última vez que dormi só de cueca, eu devia ter menos de 8 anos. Acho que o tempo de Canadá, potencializou minha intolerância ao calor daqui.

Caramba! Ontem fez um mês que pedi minha namorada em namoro!! A minha vida sempre gostou de fazer essas transformações gigantes.
Esses dias foi engraçado lembrar de um fato que ocorreu antes de eu voltar para o Brasil. Eu estava no aero-porto, e achei uma fonte dos desejos, cheinha de moedas. Eu nunca tinha visto uma, então não pude perder a oportunidade. Todo mundo na expectativa para ver eu jogar a moeda, mas eu levei muito tempo pra pensar no que desejar, e então uma amiga minha falou pros outros: “Ele vai pedir uma namorada!!” e eu disse: “Não… primeiro não posso falar o que eu vou desejar, e segundo, é que uma namorada é algo muito importante pra se pedir em uma fonte dos desejos, tudo o que as pessoas pedem não se realiza.” kkkkkkkkkk lógico que eu não acredito nessas coisas, mas valeu a brincadeira. O interessante, é que eu pedi um trabalho logo que chegasse ao Brasil. E acabou que eu consegui uma namorada e estou a quase um mês procurando emprego ainda! kkkkkkkkkkkk

Daqui 18 dias será o show do Paramore em São Paulo!!!!!!!!!!!!!!! E eu vou com a minha namorada!!! Quem diria hein… é o segundo show deles que vou em um ano. Ou seja, 3 shows em 1 ano e 4 meses. E mais eventos estão por vir! Quero ir em todos possíveis. É algo caro, mas eu não gasto com bens materiais, justamente porque eu prefiro comprar experiências. No mesmo dia, 01/11, tocarão também MGMT (já gostei muito deles), skank (sempre quis ir em um show), pitty, e kings of leon (tive minha fase deles também, justamente por causa do cover do paramore, de “use somebody”)

Quanto aos meus estudos, estou muito na dúvida ainda. Eu queria muito passar em uma universidade federal, mas pra isso eu precisaria fazer um cursinho pré-vestibular.
Por outro lado, planejo uma pós-graduação. Penso em comércio exterior, ou supply chain. E fora isso, penso também em fazer uma faculdade particular mesmo, porque um cursinho tomaria 1 ano de meu tempo e dinheiro, para estudar só de noite e competir com gente que mais nova que não trabalha e tem o dia todo pra estudar.. me entende? Pode ser algo que farei quando eu já tiver uma carreira sólida, que aí será diferente.

 

E esses dias assisti dois filmes. Submarine e Looper.
Submarine é o tipo de filme que eu gosto. Ele tem uma excelente direção de fotografia, e trilha sonora muuuuuito boa. Constituído por atores desconhecidos e com semblante depressivo, acho que dá um contraste interessante para o casal de adolescentes coadjuvantes.

E Looper trabalha bem por cima com viagem no tempo. Um tema que eu particularmente adoro. Mas esse em si, a viagem é apenas um acontecimento para o desenrolar da história toda. Que resumindo, apenas um cara volta do futuro com o objetivo de matar alguém para evitar uma tragédia em sua vida. Porém, acho que fugiu um pouco do enredo principal. O final ficou muito vago.

 

Acho que por enquanto é só.

Obrigado

 

WP_20141011_036

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Política não é comigo, mas vou explicar o que eu acho.

É sempre assim, chega ano de eleições, começam a aumentar as discussões sobre política, e quanto mais próximo da grande data, mais “experts” na área vão aparecendo. E aí tem de tudo! Tem gente que cresceu ouvindo os pais reclamarem de tal partido, colocando a culpa dos problemas particulares em algum partido, e essa pessoa que cresce ouvindo isso, obviamente estará cheia de argumentos para ser contra tal partido. E há os que cresceram ouvindo que são sortudos por terem partido “x” no governo, pois se não fosse ele não teriam as facilidades que têm. E cresce também cheio de argumentos sobre o porque escolher aquele partido. E assim começam as discussões. Os favorecidos versus os desfavorecidos.
Todo mundo tentando mudar a opinião alheia em um curtíssimo prazo de tempo. E claro, sempre que você deixa alguma “atividade” para a última hora, você fica muito mais estressado e apressado para terminar aquilo a tempo. É exatamente o que acontece quando as pessoas tentam mudar a opinião de alguém em tão pouco tempo, se torna uma discussão mais agressiva do que deveria ser. Política se discute sim, mas de forma maneirada, e a longo prazo.

No meu ponto de vista sempre teve algo errado. SEMPRE.

Governo bom mesmo, é aquele que atende a todos. Enquanto houver favorecidos e desfavorecidos, significa que ainda não temos um governo que preste.

No Brasil, o brasileiro vota pra ter uma vida boa. Em países desenvolvidos, as pessoas votam por propostas que vão melhorar o país como um todo.

Aí são feitas as eleições, e alguém ganha com um diferencial grotesco para o segundo colocado. Eu sempre gostei de coisas lógicas… Então mesmo não compreendendo nada sobre política nem me aprofundando na área, eu tenho os dados. Se eu fosse um extrangeiro votando pela primeira vez aqui, eu seguiria a lógica. Então não tem algo errado em reclamar da vitória de um candidato que ganhou com tanta diferença para o segundo colocado? Porque teoricamente são mais cabeças pensando em quem votar. Fazendo uma analogia aqui, vamos supor que você tem uma atividade de cálculo para fazer, e você obteve uma resposta “x”. Porém de uma turma de 20 alunos, 15 obtiveram a resposta “y”, 3 responderam “z” e outros dois “x” também. Você se questionaria onde errou, não é mesmo? É o que eu acharia caso meu candidato não ganhasse.

Claro que política é muito mais que isso. Partindo pro lado econômico a coisa é bem mais complexa.

Não tenho partido, nem nada. Mas quero apenas deixar um artigo que a revista Veja (que por sinal eu não gosto) publicou da revista Forbes.

“A revista americana Forbes divulgou em seu site uma lista com cinco razões pelas quais acredita que os eleitores brasileiros não deveriam reeleger a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT). Em texto que elenca os avanços econômicos e sociais no Brasil ao longo dos últimos vinte anos – transformações que tiveram início, lembra a revista, no governo de Fernando Henrique Cardozo –, a Forbes afirma: sob o comando de Dilma, o país passou da expansão para a melancolia.

Depois de elencar os avanços dos governo FHC e Lula, o texto ressalta a situação econômica do país, que vive um quadro de recessão técnica e inflação no teto da meta. “Os investidores de todo o mundo, que chegaram a fazer fila para comprar um pedaço do ‘sonho brasileiro’, olham agora para mercados mais atrativos, como o México (e celebram todas as vezes que Dilma perde pontos nas pesquisas eleitorais)”, diz o colunista Anderson Antunes. E encerra: Dilma não apenas falhou em manter tudo em ordem, como está colocando os avanços em risco.”
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/forbes-lista-cinco-motivos-para-o-brasil-nao-reeleger-dilma
Artigo em inglês: http://www.forbes.com/sites/andersonantunes/2014/09/11/5-reasons-why-brazils-president-dilma-rousseff-should-not-be-reelected/

Depois, o PT defendeu a Dilma…

“Por isso, o PT (Partido dos Trabalhadores) decidiu "defender" sua candidata e afirmou que as razões apresentadas pela revista norte-americana não estão corretas. No Facebook, o partido justificou cada um dos motivos listados pela Forbes de forma bem sucinta e deu 5 motivos para que os eleitores votem em Dilma”
http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/153494/PT-rebate-Forbes-e-d%C3%A1-5-raz%C3%B5es-para-votar-em-Dilma.htm

Mas você, que é a favor de PT, PSDB, PV, Pseiláoquêmais, se coloca no lugar de alguém que não tem preferência, mas tem que votar. O que é a “voz” de um simples partido de um país, que fala o que quer na mídia, comparado à “voz” de uma revista conceituada internacionalmente, especializada em economia com os melhores jornalistas e economistas trabalhando pra eles?

Por isso eu não me meto. Política é um assunto muuuuuuuuuito complexo. A mídia é suja… eles falam bem e mal a favor de quem pagar mais. É assim que funcionam as coisas quando se tem muito dinheiro envolvido.

Espero não ter enfurecido ninguém nem nada, o artigo sobre a Dilma foi só para usar de exemplo quando citei o quanto saber analisar o lado econômico também é importante.

 

Obrigado

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Sabe… eu estou ferrado.

Aquela mão em minha barba…
Aqueles olhos que perseguem os meus…
Aquele sorriso que rouba os meus…
Aquela risada muda, acompanhada daquelas covinhas…
A maneira como fala das coisas que gosta…
Cada plano meu, querendo se encaixar aos seus…

"The heart is not like a box that gets filled up; it expands in size the more you love." Her (dir. Spike Jonze, 2013)


 

Capital Inicial - Nao Olhe Pra Trás

domingo, 5 de outubro de 2014

sábado, 4 de outubro de 2014

Escrever sobre não ter o que escrever

Que vida….

Uns meses atrás eu saía de casa às 7h e voltava às 22, ou às 23 horas. Estudava de manhã por 5 horas, almoçava com pessoas do mundo inteiro, conversava em português para que ninguém entendesse, saía a pé, andava cerca de 4 a 5 kilômetros por dia sem perceber. Sempre conversando, indo à parques, à PUBs, cafeterias… Fiz academia durante 4 meses, ganhei 6 kg, andava de bicicleta, deitava em gramados, via montanhas no horizonte todos os dias… Dias cheios de pessoas ao meu redor, e cheios de coisas novas todos os dias. O cachorro quente gigante de 2 dólares, os copos com 1 litro de chá gelado por 79 centavos, o kitkat gigante de 1 dólar, os eventos gratuitos todas as semanas…

Mas eu tinha consciência que era tudo passageiro. Tive os pés no chão, e olhava cada dia como se eu estivesse revivendo exatamente um dos dias que tive até o final do ensino médio. Porém, em outro lugar completamente diferente. E exatamente como eu pensava no ensino médio, eu pensei lá. Aproveite Paulo Henrique, pois um dia isso vai acabar. Os amigos parecem inseparáveis e pra vida toda, mas tudo tem seu fim. Vamos todos finalizar os estudos, e voltar para uma vida normal. Cada um vai para o seu lado, correr atrás de outros objetivos, e consequentemente conhecer outras pessoas, que cobrirão a provável falta que as amizades anteriores deixaram. Essa é a vida de quem segue em frente.

E agora, eu estou de volta à minha vida normal. Porém, muito longe da realidade que eu queria pra mim. Sinto falta da minha rotina. Aquela que me colocava coisas novas pra fazer todo dia, pessoas diferentes pra conversar, seja no trabalho, ou curso, eu sinto falta disso. Colocar a cabeça pra funcionar, resolver problemas, escutar problemas, se apressar por conta de horários a cumprir, ainda ter tempo pra ler e assistir filme.
Preciso logo de um emprego, não aguento mais ficar em casa o dia todo. O ócio cansa. Não tenho nada pra fazer, mas também não dá disposição pra começar algo. Considero tentar começar a aprender violão sozinho, praticar inglês, ler um dos 328732 mil livros que tenho pra ler ainda, devorar alguma série de TV, passar o dia assistindo documentário e comendo sucrilhos, mas nada disso empolga tanto quanto antes. Antes justamente por ser difícil conseguir tempo pra tudo isso, eu apreciava mais quando realizava. Tenho tempo pra tudo agora, e não faço nada. O blog inclusive, dá pra ver que eu escrevia muito mais quando não tinha muito tempo, porém eu tinha muito o que escrever pois todo dia acontecia algo diferente. Mas logo logo se Deus quiser eu consigo um emprego e começo a fazer as coisas. Tem tanta coisa que eu gostaria de fazer de diferente… que antes eu não fazia por estar juntando dinheiro pro intercâmbio. Por exemplo, nosso “apertamento” não tem mesa de jantar mais! Eu queria colocar uma mesa de jantar. Estamos acomodados aqui em casa, porque não precisamos de fato, mas está parecendo um apartamento de solteiro isso aqui. Eu queria uma estante também, pra colocar os livros certinhos, e não deixá-los dentro de um armário como estão atualmente. Quero colocar prateleira no quarto. Fazer essas coisas que parece que são indiferentes, mas que na verdade fazem muita diferença.

Esse domingo terá eleições, e lá estarei eu novamente, “trabalhando” como mesário. E pra piorar, fiquei sabendo ontem que se eu não estiver trabalhando até o dia do segundo turno, eu não ganharei o direito de tirar 4 dias de folga no trabalho futuramente.

Eu bem que poderia ganhar muito dinheiro repentinamente né?! Seria uma boa…

É isso. Obrigado.