domingo, 27 de novembro de 2016

O importante não é atravessar o caos, mas o que fazer com ele.

"Não há céus sem tempestades, nem caminhos sem acidentes. Comédia e drama, sorriso e lágrimas, aplausos e vaias alternam-se na vida de qualquer um, sejam pisiquiatras e pacientes, generais e soldados, intelectuais ou iletrados. O importante não é atravessar o caos, mas o que fazer com ele." - Augusto Cury

Depois de muitos rascunhos gigantes e sem conclusão, eu finalmente voltei.

Andei escrevendo sobre nem lembro o que tanto. No momento estou usando o notebook da minha irmã e nele não tem meus rascunhos para que eu dê continuidade neles. Mas enfim, eis aqui uma postagem nova e espero que a mais espontânea possível sem edições e longos minutos olhando pra tela.

Vou começar logo pelo o que me traz aqui. Além de muito tempo disponível, minha cabeça está cheia de coisa pra colocar pra fora. Diga-se de passagem, eu não tive um pingo de tempo nos últimos meses. Hoje que eu acho que fiquei mais tranquilo. Tenho muita coisa pra fazer ainda, mas dependo que outras sejam feitas por outros.

Eu cheguei a pensar ainda em começar a fazer vídeos pra falar tudo o que vem acontecendo. É mais rápido, e menos complicado de entender caso eu fuja do assunto. Ainda considero isso… mas sem câmera profissional e edições dedicadas. Preciso arrumar uma conta no youtube para que esses vídeos fiquem hospedados, e não quero usar uma conta que seja visível para meus amigos como uma indicação do youtube. Ahh e eu gravaria os vídeos com meu ipod mesmo. Porém ainda tenho receio de fazer isso e entrar alguém em casa enquanto eu estivesse gravando, porque além de eu ter que parar de falar da minha vida, a pessoa poderia atrapalhar a gravação, e como eu disse… será sem edições. Agora vou falar logo o que está acontecendo.

ME MUDEI

DE NOVO

Não de cidade, mas de apartamento. Foram os piores dias de minha vida.

A princípio eu sabia que precisávamos nos mudar porque a nossa situação financeira ficou feia. Meu pai nos avisou pra procurar algum lugar e assim o fizemos. Achamos algumas coisas, e deixamos em standby a proposta de uma amiga nossa chamada Dora e que morava com a Leticia. A Leticia está para sair do apartamento porque vai mudar de país. Ela saindo, eu e a minha irmã poderíamos entrar. Atééé que….. pqp….. DO NADA, porque minha vida é cheio dessas, DO NADA, “Vocês têm até o dia 10 para se mudar, deixar o AP limpo e entregar a chave”. Eu tenho certeza que esse tipo de comunicado é dado com no mínimo 1 mês antes para o inquilino. Mas algo aconteceu que eu tive que engolir essa. O prazo de 15 dias terminava em uma quinta-feira. Paulo Henrique trabalha durante semana, logo… Tive que fazer tudo no final de semana 05 e 06 de novembro. Antes de chegar o final de semana, eu a minha irmã ficamos levando tudo o que dava no carro para o outro apartamento. Essa “brincadeira” às vezes ia até às 2h da madrugada, subindo 4 andares de escada com peso nos braços. Eu tive em média 3 horas de sono por dia durante 4 dias seguidos. Deu certo? Lógico que não deu. Eu já ruim de dinheiro, juntei todas as minhas economias e procurei alguém pra fazer minha mudança, pelo menos do grosso (móveis mais pesados, geladeira, fogão, etc). Achei uns caras que fazem entrega de qualquer coisa e de vez em quando fazem bico de mudanças pequenas. Pedi meio período em uma segunda-feira para os meus chefes, tendo em vista que segunda é um dia importante na minha rotina e tem muito impacto caso eu falte. Fizemos as mudança em duas viagens de um prédio para o outro. O condomínio não tinha uma área de descarregamento interna, e tivemos que ficar com o carro para o lado de fora passando as coisas por uma portinha de acesso lateral no condomínio. O serviço deles não é nada especializado em mudança. Pegaram as coisas do jeito que estavam mesmo. Arranhou o nosso rack, a geladeira ficou toda riscada, tomou pancada, ganhou uns amassões e quebrou o pé de um armário (descobri 4 dias depois e tive que tirar os outros 3 pés). Nessa, descobrimos que o sofá não saia montado. Eu tive que gastar mais R$180 com um tapeceiro para desmontar, levar no outro ap, e montar lá. Depois disso continuei a arrumação do apartamento, e ficaram alguns móveis que não tínhamos como levar para o outro apartamento. A nossa ideia era vender eles e iria ajudar com os custos da mudança. Então, no dia 9 (um dia antes de entregar o ap para a imobiliária) eu liguei para eles para saber se o dono do AP ia querer ficar com os móveis que sobraram. Preciso dizer se ele quis ou não? Claro que não. Eu tinha 1 dia para tirar os móveis que sobraram e entregar o apartamento limpo no máximo até sábado. Caso contrário a imobiliária ia me descontar o proporcional de aluguel e condomínio para cada dia que eu ficasse sem entregar. Fui vender eles, com a condição de tirarem em no máximo 24 horas após o meu anúncio (anúncio em uma quinta para tirarem até sexta a noite). As pessoas ficam muito desconfiadas com móvel muito barato e com tanta urgência de se desfazer deles. Querem negociar preço, ir fazer visita olhar os móveis…. eu não estava em condições de fazer isso, tinha que ser já! O mais rápido possível. Então anunciei eles como doação. Foram mais de 150 pessoas me mandando mensagem no facebook. Na mesma noite de quinta-feira algumas pessoas vieram buscar algumas coisas, e na sexta-feira terminaram de levar o resto. Na quinta estávamos sem dinheiro, sem tempo, sem comida pronta e com fome. Eu e minha irmã pegamos umas carnes que já estavam descongeladas desde segunda-feira e estavam em uma bolsa térmica. Ligamos a panela elétrica que ainda estava pra fora, e torcemos para as carnes não fazerem mal pra gente. Comemos muita carne na quinta e sexta de madrugada kkkkkk
No sábado tínhamos viagem para Itapeva. Foi uma coisa muito difícil de conseguir pois dificilmente liberam a minha irmã por um final de semana inteiro. Ficamos limpando o apartamento durante a madrugada da sexta para o sábado, tiramos um cochilo de 2 horas, fomos levar as últimas coisas para o outro apartamento, nos arrumamos para viajar, voltamos no apartamento, terminamos de limpar definitivamente, e então pegamos a estrada por volta de 13:30. Tínhamos um batizado para ir às 16h. Chegamos 16:30, fomos para o batizado, e depois pra casa. Eu dormi feito uma pedra! Foram dias muito difíceis sabe… A vida toda mudamos em função do trabalho do meu pai, e sempre teve apoio de uma empresa de mudança decente, com muitas pessoas preparadas e agilidade. Essa nossa foi foda. Ainda mais se tratando de 4 andares de escada. Graças a Deus não choveu. Graaaaças a Deus. Nenhum dos dias que estávamos expostos. A escadaria do prédio é externa também.
Então em Itapeva foi corrido, mas deu tudo certo. Passamos nosso tempinho com nossa mãe, e conseguimos ver todo mundo que queríamos. Voltamos na segunda de madrugada, e fui direto para a empresa. E desde então estamos em uma arrumação muito lenta das coisas, mas já está tomando jeito de casa.

Agora a parte II da historinha…

A Letícia saiu do ap e nós entramos. Porém a Letícia e seu namorado estavam constantemente nos visitando por longos períodos, indo embora somente de madrugada. Isso começou a me irritar, porque eles pareciam não entender que não moravam mais ali. O cara o maior folgado, jogando a mochila dele em cima dos móveis, deixando tênis em cima do rack, falando alto, tomando banho, lavando roupa, fazendo compra e deixando na nossa geladeira, instalando a minha TV para ele assistir séries deles, os dois com pezão no sofá, uma desgraça do caramba. Eu já estava ficando muito puto. Porém iam pra casa no final das noites.
Então DO NADA, a tal da Leticia monta grupo no whatsapp pra falar de bagunça no apartamento, que ela não aguentava mais, que etc. Resumindo… Havia algo combinado que EU não estava ciente. E era o fato de ela morar ali ainda até o dia dela sair do Brasil. E ela têm dormido em um apartamento que ela morou antes no mesmo condomínio. Eu fiquei muito envergonhado porque na minha cabeça eles estavam invadindo nossa rotina, mas na verdade eles ainda estavam envolvidos na nossa rotina por direito. Fiquei muito bravo com minha irmã nesses dias por não me deixar a par dessas coisas. Não chegamos a brigar porque eu fico quieto, e fico quieto justamente porque eu não quero brigar com ela. Pedi desculpas para a Leticia, avisei que eu não sabia de nada e nos acertamos.

Agora a parte da minha intuição nessa historinha.

No primeiro dia que eu e a minha irmã trouxemos as primeiras coisinhas para o apartamento, eu senti algo e disse para a minha irmã “Estou com o mesmo pressentimento que eu tive com relação à namorada do nosso pai.” Eu senti que ia acontecer algumas merdas pela frente em consequência dessa mudança. E não deu outra… teve toda a correria que eu contei, e agora depois começaram a acontecer essas coisas com a Leticia.

Andei observando o comportamento e a personalidade dela… Ela não era gerente da starbucks atoa, porque se tem uma coisa que ela gosta de fazer, é mandar. Essa menina é do tipo que dá até medo do que ela pode fazer caso as coisas não saiam como ela quer. Ela não aceita ficar em desvantagem por nada…. como eu disse, ela está dormindo em um apartamento que ela morava antes no mesmo condomínio, e disse que está fodida se descobrirem. Ou seja, além dela ter mantido a chave do apartamento pra ela, ela faz isso mesmo sabendo que é errado.
Ela não trabalha mais, e ainda assim, mesmo com uma viagem “sem volta” para um lugar que o o nosso dinheiro vale 3 vezes menos, ela e o namorado estão gastando muito dinheiro nesses dias. Vivem saindo e trazendo coisa. Esses dias pagaram R$60 em duas frutas exóticas!!!!! 60!! Eles não estão com a cabeça preparada pra a realidade de um imigrante ilegal em um país Europeu. Estão achando que vai ser tudo mil maravilhas.. não é possível. Então eu receio que ela não aguente a pressão das dificuldades que vai enfrentar lá em Portugal, e vai querer voltar pra cá. E onde ela vai querer ficar logo de cara??? Então… a possibilidade de ano que vem estarmos em casa de boa e do nada essa menina abrir a porta, é grande. Mas Deus me livre… Estou sendo pessimista assim por conta do tanto de bosta que já aconteceu até agora e pelo pressentimento que eu tive.

Agora a parte boa da historinha

A Dora, que mora com a gente, é uma menina muito tranquila, tem a namorada dela que ela vê de vez em quando, e é responsável. Não vamos ter dor de cabeça com ela. O apartamento é só um pouco menor que o nosso anterior, não tem elevador, mas fica na melhor região pra se morar em Jundiai. Eu mesmo pensava que teria que ser muito rico pra morar nessa avenida que moramos agora, porém esse condomínio por ser antigo foi construído em uma época que não era status morar nessa avenida e acabou não tendo os mesmos padrões de todos os outros da avenida. Tem tudo perto. Quase não vamos mais tirar o carro da garagem :)
A minha irmã leva 5 minutos pra chegar no trabalho andando, e eu tenho um ponto de ônibus bem na porta do condomínio.

E acho que finalmente esse assunto acabou. Esclareci tudo o que aconteceu comigo nesses últimos dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário